27/05/2012

As Crônicas de Gelo e Fogo: A Tormenta de Espadas

Se me mandassem resumir esse livro em uma palavra, a palavra seria: FINALMENTE. Finalmente a história ficou realmente interessante. Finalmente eu consegui ficar realmente presa na história. Finalmente a história deu uma reviravolta interessante. Finalmente ela deixou de ser cansativa. Finalmente eu perdi metade de uma aula pensando no fim da história. Finalmente George R. R. Martin se mostrou para mim como o gênio que ele já tinha se mostrado pra boa parte do mundo.
O maior livro que eu já li na vida (840 páginas + Apêndice) foi o melhor d'As Crônicas de Gelo e Fogo que eu li até agora. A história simplesmente se revelou muito melhor do que eu esperava (graças aos últimos dois livros). Agora sim a história ficou mais complexa, mais tensa, mais interessante. Realmente vale a pena ler os dois primeiros livros e depois ler A Tormenta de Espadas. E agora eu tô morrendo para ver a terceira temporada de Game Of Thrones (apesar de ainda estar no episódio 2 da primeira).

Até agora..

Nota (pelo critério "eu" de avaliação): 8,0
Nota (pelo nível de qualidade): 9,1
Personagem preferida: Sansa Stark. O que é irônico já que eu odiava a Sansa no início da história. Mas é que a Dany me deixou meio decepcionada esse livro e a Sansa se superou então..
Melhor parte do livro: Só uma? Vejamos.. a morte do Joffrey foi legal. Até uma parte do casamento do Edmure também. E quando a Lysa morre, WOW! Não sei dizer com certeza.
Dias lendo o livro: 12


Giulia =)

25/05/2012

All About 14

Eu não sou uma grande fã da Meg Cabot. Definitivamente. Na verdade, alguns dos livros dela tem meu recorde de críticas negativas (que eu não vou fazer aqui porque eu sou contra críticas negativas serem divulgadas na internet). Ainda assim, eu tenho que admitir que um pedaço de um texto dela que tem no fim de uma das minhas Capricho's (tenho revistas demais pra procurar agora). No trecho ela fala sobre os 14 anos. E o grande buraco de nada que eles são. A melhor frase é: "Taylor Swift não escreveu músicas sobre ter 14 anos". O texto então começa a falar sobre 15 anos e etc, idade que eu ainda não tenho e então não posso escrever sobre.
A verdade é que apesar de já ter 14 anos e 3 meses, eu ainda não gosto da ideia de ter o dobro de 7 como idade. Ok, talvez eu esteja jogando a culpa de tudo no 14 e que está fazendo do meu ano uma droga não tenha nada a ver com a minha idade, mas eu gosto de achar que o fato de que no momento em que minha idade mais incrível da minha vida se foi, eu fiquei mais dramática, mais irritante e as coisas começaram a sair do lugar, não é uma simples coincidência. Claro que não tem tudo sido uma droga, coisas maravilhosas aconteceram também, mas parece que tudo aumentou de proporção. Coisas que costumavam ser simples e sob controle, estão completamente fora dele. Não é algo explicável ou compreensível. É algo que você vive.
Mas, de um jeito ou de outro, se eu quero que alguma coisa dê certo eu tenho que fazer algo para isso, certo? (Eu tava pensando nisso ontem. Porque reclamar de algo e não fazer nada para melhorar? Sei lá, as pessoas reclamam demais e querem que tudo se resolva sozinho. Se você quer que algo fique bom, melhore isso, se você não quiser se esforçar pra que algo fique melhor, NÃO RECLAME! Just saying..) E é por isso que eu tenho me esforçado muito pra que as coisas melhorem. 
E, no dia de ontem eu estava pensando, e criei uma lista de...

COISAS QUE EU POSSO LEGALMENTE FAZER
AOS 14 ANOS.

1. Trabalhar - Com 14 anos eu sou legalmente apta a trabalhar como aprendiz e ter carteira de trabalho assinado, desde que não saia da escola e tenha uma carga horária. Eu só não faço isso ainda porque eu não consegui achar trabalho (e também não procurei) porque obviamente eu preciso de dinheiro (como 70% dos adolescentes do mundo) e porque um trabalho provavelmente faria de mim uma pessoa mais responsável. E só Deus sabe o quanto eu preciso ser mais responsável.
2. Ter um cartão de crédito - Eu venho sonhando com isso desde que minha mãe disse que era possível. Se eu tivesse carteira assinada. Um sonho que vai ter que esperar.
3. Ler artigos de revistas e ver/ouvir programas não recomendados para menores de 14 anos. - Ok. Isso não é uma lei. E eu faço isso desde os 10.
4. Sexo - Isso faz tanta diferença pra mim quanto a existência de melancias quadradas. Mas é um fato então tá na lista. Vocês sabiam que é proibido antes dos 14 anos quer seja consensual quer não? No caso de pessoas maiores de idade, qualquer relacionamento amoroso é considerado pedofilia. No Brasil já é crime e nos EUA pode até dar prisão perpétua (#coisasqueaprendemoscomCSI). Lembrei disso essa semana ao ouvir meu colega de sala dizendo que a irmã dele de 12 anos namora um cara de 19.. não que eu acredite na história at all, mas ele disse...

E é isso.. Veremos o que acontecerá daqui pra frente. =)
Giulia

P.S.: Estou pensando e ajustando a nova versão do blog então se eu colocar qualquer coisa, anunciar e depois cancelar (o que eu já fiz uma vez) não se assustem. ;)

15/05/2012

As Crônicas de Gelo e Fogo: A Fúria dos Reis

Pelo que eu descobri sobre os fãs d'As Crônicas enquanto lia A Fúria dos Reis, eu sei que 90% deles vai descordar dessa crítica e do que eu vou dizer agora. Mas não porque eu vou falar mal do livro nem nada do tipo e sim porque tem muito fã por aí que só gosta dos livros por causa do status que estar lendo "o novo O Senhor dos Anéis" dá. Acreditem eu senti esse gostinho na pele. Quando você tá lendo As Crônicas de Gelo e Fogo quem não leu quer saber sobre os livros, e quem já leu quer conversar sobre eles. O simples fato de você estar lendo um livro daquele tamanho já faz com que as pessoas fiquem chocadas. Quem fica chocada com isso sou eu! O que eu quero dizer é que muita gente só lê os livros e tem sempre comentários positivos a dizer sobre eles porque acham que isso fazem deles pessoas cultas e populares. Entretanto, realmente existem pessoas que gostam dos livros porque curtem esse tipo de leitura e realmente se envolvem com a leitura, apesar da maioria só querer se destacar em um país onde tem gente que não conhece nem o próprio hino nacional. Mas enfim, aí vai minha crítica:

Eu tenho que admitir que o segundo livro da série foi um pouco decepcionante. Não que ele seja ruim, porque não é (apesar de continuar sendo um pouco cansativo.). Mas na verdade eu estava esperando mais da história. Todo "Livro Um" de uma série é uma introdução à história, as vezes até mesmo com uma história completa pro caso de não dá pra escrever um "Livro Dois", o objetivo é conhecer os personagens pra poder opinar sobre  suas reação ao que ira acontecer no livro dois. Acontece que em A Guerra dos Tronos, George R. R. Martin deu várias voltas, criou várias situações e quebrou várias linhas de pensamento sobre o que iria vir no futuro o que me fez esperar uma reviravolta completa naquelas 624 páginas + apêndice (o apêndice é importante porque eu fico abrindo ele o tempo todo) maior ainda do que a que acontecia no livro um e.. isso não aconteceu. Mas fora isso, o livro foi tão bom quanto o primeiro.
O único problema foi um recorrente nos livros dessa série: A demora a chegar ao personagem certo. Deixa eu explicar, os capítulos dos livros são narrados em terceira pessoa, mas cada um do ponto de vista de um personagem. Minha dica pra você que vai ler os livros é: NÃO TENHA UM PERSONAGEM PREFERIDO! Caso contrário, o capítulo dele vai demorar pra caramba! É só a minha dica...


Até agora..

Nota (pelo critério "eu" de avaliação): 4,5
Nota (pelo nível de qualidade): 8,0 (mesmas notas do livro um)
Personagem preferida: Daenerys. Né que ela conseguiu não perder seu posto?
Melhor parte do livro: N.D.
Dias lendo o livro: 11 (mais páginas, menos dias =P)

Giulia.

14/05/2012

V3

Pesquisas - feitas pelas pessoas que vos fala - comprovam que as melhor temporada de uma série é a terceira (se a série tiver mais de três temporadas, naturalmente). Mesmo que o melhor episódio não esteja na terceira temporada, a melhor temporada é sempre a terceira. (pelo menos nas séries que eu já vi). Eu amo terceiras temporadas. E obviamente, amei a terceira temporada da minha série preferida.
Como vocês sabem, eu "me tornei Dobrevic" (leia-se, comecei a me interessar de verdade pela vida da perfeição da Dobreva e depois comecei a amar esse ser), em abril do ano passado. Eu ainda cheguei a "acompanhar" a estreia dos dois últimos episódios da segunda temporada, mas não vi nenhum dos dois. Na época, eu não tinha internet em casa e meu computador era um de 2002 que minha mãe comprou por R$200 reais na mão de uma colega de trabalho e que tinha 20gb de HD e 152mb de memória RAM. (Arcaico...), e como eu tava dando aulas de reforço e ganhando R$50 reais por mês, eu tava a fim de sacrificar um mês de "salário" pra comprar o box da primeira temporada e TVD e baixar a segunda depois. Acontece, que eu levei um superhipermegacalote e não fui paga (até hoje, eu só vi 20 reais da grana e a mãe da menina que eu dava aula é minha vizinha de janela) o que significa que eu não consegui o dinheiro pra comprar o box. Um mês passou nessa brincadeira e já era questão de honra que eu conseguisse ver as primeiras temporadas de VD antes da estréia da terceira, porque entrando na internet três vezes por semana, eu já sabia o que ia acontecer em todos os 44 episódios da série, eu até tinha salvo a página de episódios da série da Wikipédia no computador. Eu tava surtando e precisava ver logo, e como não tinha dinheiro pra comprar o box, precisava arranjar um jeito de baixar. Só que eu não conseguia em lugar nenhum! Eu só conseguia a segunda temporada pra baixar. E foi então que eu recorri a ultima arma possível: O Orkut. De 2007 até o ano passado, o Orkut era um dos melhores lugares para achar links de qualquer coisa da internet. Você só precisava saber procurar direito. E foi assim que eu consegui os links do downloads da primeira temporada de TVD pra baixar. Primeiro problema: Eu não tinha internet em casa. Solução: Ir quatro vezes por semana na casa da minha tia baixar episódio atras de episódio e baixar até mesmo quando minha irmã tava usando o computador. E agora o problema: Era em RMVB e como eu instalei alguns programas de necessidade básica no computador, não tinha espaço para o RealPlayer. Solução: Usar o conversor de vídeo. O computador era tão lento que uma vez ele levou 4 horas pra converter dois episódios! E enquanto ele estava convertendo, não dava pra fazer mais nada, ou o computador podia explodir. E assim, eu comecei a ver as duas primeiras temporadas de The Vampire Diaries correndo contra o tempo. Quando faltavam 9 episódios pro fim da segunda temporada e 2 semanas pra o início da terceira temporada meu computador novo e atual foi comprado e eu conseguir ver com mais comodidade (e criei a tradição de ver séries enquanto almoço). E então veio a terceira temporada...
Quinta-Feira eu twittei isso aqui: " mas falando sério, não acredito que hoje estreia a Season Finale da 3ª temp. Parece que foi ontem que eu sai correndo feito uma doida pro laboratório de informática da escola pra baixar The Birthday. ='/ " (Parte 1 / Parte 2) E isso é muito sério. Um pouco antes da estreia, eu tinha descoberto que na minha escola tinha um laboratório de informática que era liberado pra entrar em qualquer site, e quase todo dia depois da aula eu ia pra lá. E quando The Birthday saiu, foi pra lá que eu corri pra baixar o episódio. (acabei de lembrar que naquele dia eu tinha escrito V3 na mão e o "3" ficou parecendo um coração. foi a tatuagem de caneta mais linda do que eu já vi) E continuei assim até The Reckoning quando finalmente colocaram internet nessa casa.
O que eu quero dizer com essa introdução que conta toda a minha história com a série é que EU NÃO ACREDITO QUE A TERCEIRA TEMPORADA DA MINHA SÉRIE PREFERIDA ACABOU! Não parece ser real. A terceira temporada de TVD foi a primeira que eu acompanhei do início ao fim, vendo promos, recaps, webclips.. ='/
Mas não tem mais jeito né? As únicas coisas a se fazer são chorar (me preparar pro TCA's), descansar (me preparar pro TCA's), atualizar as séries que eu tô atrasada (todas) (me preparar pro TCA's) e xingar o CW por ter cancelado The Secret Circle (e é claro me preparar do TCA's). 4 meses é tempo suficiente pra fazer essas coisas.


Giulia =)

13/05/2012

HappyCandyColaDay!

Hoje eu passei 5 horas fazendo uma montagem, eu tive um ataque psicótico que GEROU ALTO USO DE CAPS LOOK, eu comecei a cantar músicas cada vez que ouvia uma palavra (espera isso aí acontece todo dia) e todo isso porque hoje é aniversário da pessoa mais incrível nascida em 1987 do mundo todo (e olha que isso é muita coisa porque tem muita gente incrível nascida em 87).
Candice Accola, faz 25 anos hoje com cara de 36 (sorry, piada sem graça interna), o que faz o dia de hoje ser um dos melhores dias do ano. Eu nem sei o que dizer sobre a Candice porque ela é Candice Accola caramba! Não dá pra definir ela em palavras. E o que eu sinto por ela é tão complexo que eu não quero dividir isso com o mundo. Resumo básico: Eu tenho taanto ciúmes da Candice (só existe uma pessoa no mundo de quem eu sinto tantos ciúmes quanto eu sinto da Candice) que se você não sabe quem é ela, contente-se em saber que ela faz The Vampire Diaries e foi cantora de fundo da Miles ok?
Enfim, era isso, eu só queria seguir a tradição de fazer um post sobre os aniversários das minhas divas. Obrigada pela atenção.

Giulia =)

11/05/2012

Como nasce um post..

Oi. Ah, o que eu tô tentando fazer aqui? Deve tá todo mundo com vontade de me matar porque faz duas semanas que eu não posto nada (apesar de eu ter atualizado as páginas do blog) e não há nada que diga que possa diminuir essa vontade porque vocês estão certos. Não que eu esteja errada, porque pelo menos eu tenho motivos pra ter passado tanto tempo sem postar, mas vocês estão certos. Ainda assim, justificando-me eu passei por um intenso bloqueio criativo que durou mais do que eu achei que tinha durado porque quando eu pensei em algo bom pra postar, minhas ideias sumiram no meio do post & eu me dei conta de que o "algo" que eu tinha pra postar não era tão bom assim (pois é, de vez em quando eu me dou conta da qualidade do post antes de postá-lo. mas só de vez em quando, vocês sabem..). Mas depois de tudo isso, na noite da última terça, eu me dei conta de que já que eu não consigo pensar em um tema pra post, eu vou usar um post como tema pra post e explicar o processo de criação de um post, TÃ-DÃ!
Tudo começa com uma frase. Não importa se estamos falando de uma crítica, de um conto, de um diário, de uma coluna, etc, não importa se é um post sobre o nascimento dos filhotes da cadela do primo do seu vizinho, ou sobre a vida do ganhador do Nobel da Paz, tudo-começa-com-uma-maldita-frase. Essa frase pode surgir a qualquer momento, por qualquer motivo, em qualquer lugar. As minhas frases geralmente surgem no banho (isso diz muita coisa sobre o blog, hã?), porque água me inspira, ou naqueles últimos minutos de consciência, antes de pegar no sono.
O próximo passo da criação do post é o desenvolvimento da frase. O aprofundamento do pensamento. Uma frase pode ser muito mais do que parece, e pode levar a muitos mais caminhos do que os naturalmente imagináveis. As vezes a "frase original" nem acaba no post.
As direções que um post pode tomar são diversas, especialmente se ele for escrito por alguém que não consegue completar uma linha de pensamento sem pular pra outra tipo SEBASTIAN STAN! Não acredito que levei tanto tempo pra perceber que é ele no clipe de Wake Up Call e ele é lindo né? (I think I made my point). Mas é exatamente isso que eu amo em posts, eles não precisam fazer sentido, eles apenas precisam surgir e serem escritos (a segunda é a pior parte) e em seguida serem lidos por que se não forem, qual é o sentido de tudo?
Depois que a frase é desenvolvida e transformada em texto, vem a fase das correções. Acreditam que esse post passou 5 vezes por correções? Isso mesmo, cinco! Eu sei o que vocês estão pensando.. pois é. Pode ser a correção de uma frase sem sentido, de uma palavra escrita errado, de algo que não soou direito, ou de qualquer coisa. Eu geralmente faço revisões enquanto escrevo, porque simplesmente não tenho paciência pra fazer correções depois de ter terminado o post, afinal eu já levo um bom tempo pra escrever um post sem corrigir depois e sem falar que se eu fosse parar pra ler tudo que eu escrevo depois de terminar de ter escrito pra decidir se posto ou não, não haveria posts nesse blog. (acho que esse post está sendo bem esclarecedor pra vocês não?)
Depois da correção, vem finalmente a conclusão. E essa é uma das partes mais difíceis da criação do post. Não importa que tipo de post seja, minhas conclusões são péssimas. Eu não consigo nem fechar uma linha de pensamento, imagine fechar um texto inteiro sobre determinado assunto? Vocês acham que eu levei um ano e um dia escrevendo Songs porque é uma história longa? Mas nãão, eu já tinha a história toda na cabeça, eu levei esse tempo todo pensando na conclusão (mentira, o computador que eu usava pra escrever Songs no inicio nem era meu, quando eu me mudei pro Rio e ganhei meu computador eu já tava no capítulo 6, por isso eu levei tanto tempo). Mas, isso é outro lado positivo de um post, ele não é para ser julgado, então não precisa ser perfeito, e não precisa fazer sentido, e não precisa necessariamente ter uma conclusão perfeita. Eu posso simplesmente terminar o que eu tenho pra dizer, assinar e vocês ainda vão continuar me amando! (se é que alguém realmente me ama)
E quando finalmente a conclusão, ou a não-conclusão está terminada, tudo que falta é uma assinatura e então você clica em publicar. O post está pronto e o que falta é a divulgação (algo que a galera do twitter sabe bem o que significa). E é assim, que nasce um post.

Giulia ;)