Diário de Bordo - Parte 12 - E a saga da vari.. CATAPORA continua...

by - 22:21

Hoje foi um dia bem cheio. Noite passada também.
Tudo começou quando ontem, ainda aniversário da minha Diva Dobrev e dia em que a catapora se manifestou em mim com mais força, minha irmã resolveu contar pra minha mãe sobre eu estar com catapora. Ela ficou muito preocupada, claro. E ela nem viu como eu estou. Eu fiquei mal de saber que minha mãe estava preocupada.
Mais tarde na mesma noite - no meio de Diários de Um Vampiro, éé eu vejo. Não gosto muito da dublagem mas serve pra eu zoar e eu quero dar audiência pra minha série preferida. E se você acha que a série no SBT só serve pra criar posers, está tremendamente errado. - minha prima em segundo grau (a mesma que veio e ia voltar com a gente) ligou pra gente dizendo que minha mãe tinha contado pro pai dela sobre a catapora - que minha irmã já pegou de mim, mas com menos intensidade. Eu sabia que era arriscado viajar de avião com catapora - inclusive por causa do risco de transmissão - e já tinha pensado nisso mas não achei que fosse tão sério. Mas o resultado final - descoberto essa manhã na casa da minha bisavó numa ligação enquanto eu dormia (acordei mole pra caramba e depois dormi de novo quando o pessoal saiu - eu estou feia demais pra ir com eles) na minha caminha quente - foi o desmembramento da passagem da minha prima (que foi pra Feira de Santana hoje pra embarcar de Salvador amanhã) e o cancelamento da nossa viagem depois de uma pequena consulta que aconteceu no Hospital Geral de Vitória da Conquista hoje.
Mas antes de falar sobre a consulta eu quero falar sobre a minha mãe. Ou sobre a saudade que sinto dela. Não tenho vergonha de admitir que chorei de saudades da minha mãe no primeiro dia em que cheguei aqui. Bem, esse foi um dos motivos porque eu chorei.... digamos que eu estava meio em choque por diversos motivos. E hoje ela me deu um baita susto: Pela milésima vez uma de nós três teve suspeita de dengue. Os exames da minha mãe deram negativo mas isso não me deixou mais calma. De qualquer jeito, quando ela me ligou essa manhã e eu tava bem mal por causa da doença e tudo e eu ouvi a voz dela eu caí no choro outra vez. Eu quero ir pra casa, eu tô com saudades das minhas coisas, do meu cantinho, da minha mãe. Eu gosto de Vitória da Conquista, mas mais de um mês aqui é tempo demais. Eu tenho coisas pra fazer no Rio. Pessoas pra ver. Um ar poluído pra respirar. Uma mãe pra abraçar. Tá parei senão eu vou chorar de novo.
Desculpem-me por isso. Eu sempre peço perdão quando eu reclamo. Todo mundo sabe que eu odeio pessoas que reclamam da vida. Mas nesse caso é muito importante pra mim. Não é essa a impressão que eu dou, mas eu não aguento mais esse lugar. QUERO IR PRA CASA! QUERO A MINHA MÃÃE!
Mas passado o surto eu vou fazer um resumo da minha tarde: Fomos em um posto não tinha médico. Então fomos para o hospital onde meu avô trabalha como motorista de ambulância (meu pai também é motorista de ambulância e meu avô paterno também era motorista de ambulância). Ok. Eu sei o que vocês irão pensar do fato de termos usado isso para passar na frente dos pobres doentes, e eu também acho muito injusto, mas eu acho que as pessoas não levam a sério minha catapora, eu realmente estava mal e sinto muito, mas eu precisei fazer aquilo. 
Sejamos justos: Eu não queria bater o pé quando a médica conversou com 6 pessoas antes de me atender. E eu não queria quase berrar "EU NÃO VOU FICAR MAIS QUINZE DIAS AQUI." até quase convencer meu avô ir levar a gente. Mas essa sou eu: Impaciente e até um pouco mimada. Vocês viram o que eu fiz quando a dentista falou sobre as 17 obturações. Me controlei na frente da médica, (não ajudou ela ter escrito Varicela no relatório, mas ela tinha que fazer isso então...) mas eu estava brava e NÃO VOU FICAR MAIS QUINZE DIAS EM VITÓRIA DA CONQUISTA! Falou?
Mas minha impaciência foi sanada por um milk-shake de flocos comprado no drive-trhu do McDonald's do Shopping Conquista Sul.

Eu sei o que você está pensando: "Giulia não é o tipo de pessoa que dedica mais de um post para a catapora" Mas ela e as coisas que ela tem causado me fizeram esse tipo de pessoa.


Amo vocês,
Pucca.

P.S.: Deixem comentários, sugestões, e dicas. Espero que gostem.


You May Also Like

0 comentários