Melodie Weekly - Edição nº 7

by - 21:47

Antes de começar, eu gostaria de dizer que eu mereço todos os xingamentos que vocês estão guardando em seus coraçõezinhos magoados pela dor de passar quase duas semanas sem ler meus posts lindos e maravilhosos que vocês tanto amam, só que não né? Eu sei que no fundo no fundo vocês estavam felizes por não ter que aguentar isso aqui, apesar de frustrados por entrar todo dia e não ver novidade nenhuma.
Olha eu tenho uma explicação plausível, apesar de bem pouco convincente: a fonte do note queimou no dia seguinte em que eu recebi ela de volta e eu tava sem ela até hoje. Viu, eu disse, um lixo de motivo. Eu podia muito bem ter me virado pra escrever pra não abandonar vocês, mas Giulia, ela é uma pessoa muito enrolada, folgada e fresca que se irrita muito fácil e por tal motivo estava sem paciência pra escrever nos últimos dias. Na verdade, esse post era pra sair no sábado passado, mas as 19h45, eu ainda estava no inicio dele e foi aí que saiu aquele boato de que a Candice tava grávida e eis que eu surtei e não consegui escrever mais nada. Outro motivo fraco né? Mas vocês já estão acostumados com meu jeitinho de ser eu.
Mas é por esse atraso de duas semanas, que o weekly de hoje (aliás, o weekly foi totalmente abandonado depois que eu disse que ele seria semanal, muito lindo pra minha cara) vai falar das duas últimas semanas, e caraaaaaaaa, aconteceu muita coisa nas duas últimas semanas.
Vamos começar na semana do dia 2: Então, essa semana começou no domingo, com eu finalmente recebendo minha bíblia rosa dos 15 anos na igreja e sendo chamada la na frente para orarem por mim. Tudo que eu queria era uma bíblia que ninguém tivesse e foi o que eu consegui. (Jesus, eu mal tô me conseguindo, quer dizer, conseguindo me concentrar pra escrever, eu tô confundindo tudo, e esquecendo de escrever uns pedaços) Eu ganhei a Biblia de Estudo Plenitude para Jovens e ela é única lá na igreja. Yay! Quanto a ter ido lá na frente, até que foi bem tranquilo. De certa forma, acho que a minha timidez foi meu substituída por uma aversão a pessoas ultimamente. Nem tentem entender.
Na segunda, eu tinha prova a tarde e tive que ficar na escola até as 14h45, sendo que eu terminei a prova 10 minutos depois de começar (14h10). No fim de tudo eu já tava amaldiçoando as 5 gerações do fiscal da prova e totalmente frustrada, mas aí terminou e eu corri pra casa, tremendo de frio e exausta. Naquele dia eu ainda não tinha recebido minha fonte então tirei o dia pra arrumar umas coisas.
Na terça eu não fui pra escola, mas recebi minha fonte de volta, então passei o dia inteiro tentando fazer alguma coisa. Até que na quarta, ela queimou e todos os meus planos foram por água abaixo. Aquela altura eu tinha esquecido army, tinha esquecido tudo, mas em compensação eu tinha escrito dois capítulos de Twenty-Five no meio da aula de português (não que a professora de português precise saber que era isso que eu tava fazendo, nem que eu ligue que a professora de português saiba).
E aí na sexta eu comprei nada mais nada menos que 8 livros (contanto com o que eu comprei na escola) no sebo e todos sairam por 35 reais. Fiquei tão feliz que tirei até uma foto retardada com eles:


Os livros foram: O médico e o Monstro de R. L. Stevenson, A noite das Bruxas, Assassinato no Beco, Um brinde de cianureto e A Extravagância do Morto de  Agatha Christie, O Ateneu de Raul Pompeia, A cor púrpura de Alice Walker, A Lista de Schindler de Mietek Pemper. Agora eu já li A Noite das Bruxas, e tô começando A Extravagância do Morto.
E aí veio o sábado que foi o dia mais badalado do ano: Eu tava sozinha em casa, porque minha mãe trabalhou e minha irmã passou o dia com ela, mas eu devia ter acordado, ficado online e ido estudar, pro vestibular no dia seguinte, mas não foi bem o que eu fiz. Na verdade, eu não estudei at all e levei bronca por ser irresponsável e fazer o vestibular de qualquer jeito, mesmo que ainda não seja pra valer (e não foi minha mãe que disse isso). Então eu fiquei lá só tentando escrever o weekly e ler fanfics o dia todo.
Até que deu umas três horas eu comecei a escrever Elena, meu próximo conto que já tá em "em breve" na página dos Literários. E aí depois do momento de inspiração eu vi que faltavam só 8 visualizações pra que o blog chegasse a 12mil (aliás, considerando que chegou a 10mil só no primeiro mês do ano, isso é meio deprimente) então fui fazer campanha pra chegar e consegui. (Até o fechamento desse post o blog estava com 12129 visualizações de página).
E aí foi de noite que finalmente saíram os boatos de gravidez da Candice, e meu Deus cara, vocês não entendem, isso já faz uma semana e ninguém ainda confirmou nem negou nada, então tá todo mundo indo pela negativa. Eu só acredito vendo.
Mas o caso é que eu tava com uma onda de felicidade tão grande que resolvi mandar o "hey, I love you, follow me?" pra Kimberly Cole (olha, eu me recuso a deixar que pessoas que não saibam quem é a Kimberly permaneçam no meu blog então se você não sabe, clique aqui) e um pouco depois fui dormir pra descansar pra prova.
Eis (ok, quem foi que me deixou com mania de dizer "eis"?) que no dia seguinte eu vou fazer a prova de vestibular da faculdade estadual daqui a UERJ. Ainda não é pra valer, mas eu tava sob muita pressão, até das amigas. E fui fazer munida de duas barrinhas de chocolate, um saquinho de chiclete e uma garrafa de agua. Fui pra minha sala faltando 50 minutos pro inicio da prova e fiquei lá, sem relógio (porque é proibido -.-), olhando pro teto e pras pessoas em volta até o inicio dela. No eu fiquei pensando em como eu era a mais nova da sala, até os bem mais velhos chegarem e eu chegar a conclusão de que pra eles aquilo era mais vergonhoso que pra mim. No básico, a prova tava beeeem mais fácil do que eu esperava que estivesse. O resultado sai dia 18, mas pelo gabarito eu fiquei com conceito B e fiz 61%, o que só aconteceu graças a trigonometria, química e um pouco de física (que foi? eu nunca disse que era boa em exatas. E considerando o tanto de matemática que eu acertei no chute, isso tá bem bom).
Enfim, quando eu voltei pra casa, eu pedi pra minha mãe (porque ela não deixa ligar o computador aos domingos -.-) pra deixar eu usar o computador um pouco pra ver como andava o movimento sobre o vestibular e esperar o gabarito. E assim que eu entro, eu vejo isso:

E é óbvio que eu passei o resto da semana inteira enchendo o saco sobre isso porque ELA DISSE QUE ME AMA. A Kimby é tipo meu anti-rolemodel, sem ela eu não sobreviveria as minhas pirações mais recentes. E ela tá me seguindo no twitter agora, quer dizer existem grandes chances de ela ver quando eu digo que "tonight I gonna smack a bitch". Já pensaram? kdjkshsjshuihsu Minha vida, ela é ótima.
E depois à noite daquele mesmo dia, a Carolina Munhóz minha introdutora ao universo gótico me mandou ESSA MENTION:
comentando meu comentário sobre querer que ela esteja aqui para a Bienal do Livro que acontece entre 29 de agosto e 7 de setembro desse ano e confirmando sua presença nesse lindo evento. E o melhor é que ela curtiu o post da page em que eu postei esse print. E aí eu tava pensando, já pensou se "Apenas mais uma vez" fosse publicado pela Fantasy? NOSS, sonhei MUITO alto agora.
Enfim, nessa semana todos os acontecimentos da minha vida foram ofuscados pelos acontecimentos desse país que não tiveram o reconhecimento merecido pela mídia nacional (pra variar -.-) e é por isso que a parte dessa semana do melodie weekly, será também:

melodie news!
As manifestações começaram logo na segunda-feira em São Paulo, inicialmente, elas eram pacíficas, mas aí a policia chegou e virou festa. Na terça os primeiros movimentos revoltosos chegaram ao Rio, mas a galera do Rio não era composta só de pessoas que queriam pegar o ônibus mais barato, mas também de gente que queria quebrar o ponto do ônibus. Mas no fim ficou bem claro que essas pessoas que acabaram partindo pra violência não participavam do protesto em si e eram só gente desocupada que vive perto do centro e não tem dinheiro pra pagar o teatro, então resolveu tentar se divertir. (ba dum tss. Não? Ok)
O que eu quero dizer é, no meu mundo (o que é basicamente o mundo virtual + escola + umas conversas que eu ouço por aí) as pessoas se resumiram a discutir se esses protestos eram em nome da melhora no país  ou simplesmente barraquinho por causa de 20 centavos. Até eu expressei reações das mais diversas, porque eu tenho o que eu chamo de "problemas dissertativos": eu nunca tô 100% de um lado. Tudo sempre tem um "mas" um "e também" e eu acabo não conseguindo defender uma coisa direito. Mas querem saber de verdade minha opinião sobre a coisa toda? Eu tô amando!
Não os protestos, nem as agressões, nem as discussões nas redes sociais e sim o seguinte: A gente vive em um país festeiro que tá passando por vários eventos mundiais legais, logo, a última coisa que eu esperava era que protestos em vários lugares do país fossem o que ia parar o país a semana. Acreditam que por uma semana inteira, no momento em que o facebook devia estar cheio de comentários sobre a novela, ele estava lotado de comentários sobre os protestos?! Mesmo que nem todos positivos, mas o que importa é que existe uma opinião. Ninguém tá se escondendo por trás de grupos socialistas no facebook que só servem pra passar 24h por dia chamando todo mundo de "alienado" (sério, você não pode arrotar porque são os médicos que dizem pra gente liberar gases e os médicos são controlados pela Globo, logo se você ouve os médicos, você é alienado. Exemplo terrível, btw), e sim criando uma opinião e se posicionando de um lado! Em 15 anos de vida eu nunca estive tão orgulhosa do povo brasileiro.
Além disso, em 16 países, já existem grupos de brasileiros prontos pra se reunir e protestar em frente a embaixadas, sendo 3 desses protestos amanhã mesmo! Vocês acham mesmo que é só por 20 centavos agora?
E eis que hoje acontece uma coisa que chamou atenção do mundo todo: A presidenta (não acredito que essa palavra tá mesmo no dicionário) Dilma Rousseff (nem acredito que ela é búlgara) foi vaiada pela torcida presente no primeiro jogo da Copa das Confederações da Fifa (Brasil x Japão) que aconteceu em Brasília mais cedo. A maioria das pessoas online (Cara, eu preciso de uma vida offline. Mentira, tô ótima assim) foi a favor do protesto, mas ainda teve gente que foi contra.
Bem, o protesto não era contra a Copa e sim contra o governo. A Copa foi conquistada para o Brasil com mérito do povo, e não do governo (ok, talvez um pouco do governo). Nós somos o país do futebol, um país acolhedor e reconhecido mundialmente por isso e não por organização política. Tendo esse mérito, é óbvio que os brasileiros tem o direito de ir aos jogos, mas não a obrigação de concordar com os atos do governo em relação ao evento. E não adianta nem dizer que o problema é do povo que vota também, quando votamos (tô usando a primeira pessoa porque próxima eleição eu voto já '-') nós confiamos nas propostas e temos a obrigação de cobrar  que as propostas sejam cumpridas e se elas não forem também temos o direito de se rebelar contra isso e especialmente de fazer isso em um evento mundial, mostrando então para todo mundo que estamos mesmo de olho.
Enfim, "Giulia, a cidadã" ta enchendo o saco já, logo, só vou dar uns avisos antes de sair: essa semana que vem agora eu vou postar tudo sobre o que vai acontecer com as fics durante o inverno, aqui. Songs já acabou, NY Dream já teve o último capítulo antes dos flashbacks de hiatus, Twenty-Five já vai pra season finale, em breve e As crônicas de Kat já tem data de estreia. Além disso, semana que vem tem O dia em que o my melodie virou blog de fotos: The Army! É isso aí, aquele post do blog com parceria do Make Some Noise vai ser "o dia em que o mm virou"! Yay! Maaaaas, ainda além disso, semana que vem tem a divulgação do que será o especial de inverno desse ano! Sim, o inverno já começa semana que vem e com isso vem o especial lindo desse ano chamado "As 13 semanas" mas vocês só saberão o que isso quer dizer, na sexta-feira que vem.
Até segunda.
G.

You May Also Like

0 comentários