26/02/2014

Diário de Bordo 3 - Make it magical - Parte 11: #Sweet16

Eu seeeeeeeei, já faz mais de uma semana do meu aniversário e esse post devia ter saído dia 15 só falando sobre meu aniversário honorário, mas em minha defesa muita coisa aconteceu nesse meio tempo, inclusive nada. E justo quando eu sai do modo enrolação e resolvi escrever, o conector do carregador universal do meu notebook (o terceiro carregador dele já que eu quebrei os outros dois) quebrou e como o mouse do computador grande também tá quebrado, eu passei quase dois dias sem computador. Hoje a tarde, depois de passar grande parte do dia com febre e com dor (tô com otite, graças a água que entrou no meu ouvido na aula de educação física na piscina da escola ontem) eu fiz algo superperigoso (peguei um dos conectores menores do carregador e usei uma faca pra alargar ele) e consegui fazer o notebook funcionar. Então agora aqui estou eu com o post do meu aniversário para vocês.
Ok, primeiro eu queria explicar uma coisa que eu esqueci no último post: quando o Diário de Bordo 3 vai acabar, a resposta é: depois do carnaval. Eu queria fazer pelo menos uns três posts até lá, mas não tenho certeza se vou conseguir. Mas pelo menos mais um depois desse vai ter.
Outra coisa é que eu adiei a estreia do capítulo duplo de As Crônicas de Kat de novo. Eu mal tive tempo de escrever e a escola tem meio que tomado minha cabeça ultimamente. Sem falar dos problemas com meu livro, que eu realmente quero priorizar agora. "Mas puxa vida, Giulia, com essa demora toda esses capítulos terão que ser ótimos!" Serão, meus caros gafanhotos (sim, eu ando vendo vines do Victor Meyniel, me julguem. Aliás, me sigam no Vine), é por isso que eu empaquei, porque eu quero que sejam muito bons.
ENFIIIIIM, EU FIZ 16 ANOS! Isso soa tão estranho. Eu não me sinto com 16 anos. Esses dias eu gritei com meu reflexo na janela do supermercado por não parecer que tenho 16 anos (não me digam que eu sou a única a falar com meu reflexo), e se vocês discordam disso, eu gostaria de dizer que a Adelaide Kane está fazendo uma personagem de 16 anos em Reign e eu não me pareço nada com aquilo tudo. Quer dizer, todo mundo agora fica falando sobre o "milagre dos 16 anos" e como ter 16 anos muda sua vida e eu sei que só fazem 8 dias, mas eu não sei, eu não me sinto tão "milagrada" assim.
Mas isso tudo de lado, eu tive um bom aniversário, ou melhor dois bons aniversários, porque como eu falei na página do Facebook, eu tive um aniversário extra, meu aniversário honorário.
Desde que eu me mudei para o Rio, todo ano no meu aniversário eu sigo algumas tradições: eu sempre passo o dia em um shopping, sempre almoço no McDonalds e sempre faço minha sobrancelha. Eu não sei porque, foi algo que foi acontecendo todo ano até eu ficar com TOC sobre isso e ter a necessidade de fazer todo ano, assim como as tradições de Natal.
Esse ano quase que as minhas tradições não puderam ser cumpridas pelo simples fato de que meu aniversário caiu numa terça-feira. Já comentei que odeio terças-feiras? Eu as considero piores que as segundas, por vários motivos. No meu dia, minha mãe trabalharia o dia todo no dia 18 e com minha irmã na escola (eu fiz uma promessa aos 13 anos de que nunca mais iria para a escola no meu aniversário), eu não só não ia poder passar o dia no shopping, como passaria uma boa parte do dia sozinha em casa. Até que eu recebi um presente enviado dos céus:
A Apple enviou um e-mail anunciando a inauguração da primeira Apple Store da América Latina que aconteceu no dia 15/02 na Barra da Tijuca aqui no Rio de Janeiro, para todo mundo que tinha produtos da Apple e como eu tenho um iPhone (3GS!!!) estava inclusa. Rapidinho meu cérebro formulou uma plano de salvação do meu aniversário e eu postei o seguinte no Facebook:
OOOh Mãããããããããããããããããããããããeeeeeeeeeee, eu sei que meu aniversário vai ser uma terça-feira e que todos os os outros fins de semana estão ocupados, então a gente pode por favor, por favor, por favor adiantar a comemoração pro sábado, dia 15, no VillageMall? É que vai ter a inauguração da primeira Apple Store do Brasil, e eu nem quero comprar nada, só ganhar uma camiseta comemorativa e além do mais como todo aniversário meu é comemorado em Shopping, fica mais prático. POR FAVOOOOOORRR? (Tô fazendo o pedido em publico pra ficar mais difícil negar). — com Elda Lucia Santana Santos.

Sim, eu sou uma pessoa muito apelativa, e o apelo deu mais do que certo. Minha mãe concordou em ir, e sábado, dia 15, 7h da madruga a casa inteira estava acordada e se arrumando. Dois ônibus depois, estávamos do outro lado da rua do VillageMall.
Atravessamos e seguimos as placas que levavam à inauguração da loja. Eram 9h e a fila já tomava todo o segundo piso do shopping e teve que ser dirigida para a sala de eventos, que é uma coisa de louco. Para a fila eles estavam servindo comida lá (docinhos, suco de laranja, água de coco, pão de queijo, etc) e todos aqueles mimos que só shopping de rico tem.
"Noooooooooossa, que coisa de favelado dizer 'shopping de rico'", eu sei, mas sejamos justos, eu vivo em Realengo há três anos e aqui nem tem shoppig, então eu geralmente vou pra Bangu e digamos que eu nunca vi um evento lá que tivesse comida de graça. E além disso, eu sou pobre, e pobre quando ouve as palavras "de graça" ouve junto sinos de igreja e um coro de "AAALELUIA, ALELUIA, ALELUIA, ALELUIA, ALEEEELUIA".
Além do mais o shopping só tem loja daquele tipo que nem preço nos produtos tem, quem compra compra de olhos fechados sem fazer ideia de quanto gastou. Eu fiquei particularmente apaixonada pelas lojas do Michael Kors, a Tiffany's (que eu morri quando vi porque fala sério é a TIFFANY'S, mas eu não entrei porque tinha um guarda do tamanho de um armário lá e eu tenho pobre escrito na testa) e a Livraria Saraiva lá dentro, que é super luxosa. Além disso, tinha o Espaço Teen, que é um banheiro exclusivo para adolescentes. O banheiro é como um camarim, cercado e lindos espelhos e com direito a um espaço para sentar pra conversar, é simplesmente perfeito. Só faltou ter comida lá dentro (PI PI PI ALERTA DE POBRE FAZENDO GORDICE, ALERTA DE POBRE FAZENDO GORDICE).
Anywaaaay, depois de duas horas e tanto de fila - eu juro que nem senti - nós finalmente conseguimos entrar na loja da Apple e ganhar a camiseta comemorativa. Como eu disse, nós não fomos comprar nada, então depois de fuçar todos os itens da loja e conversar com o vendedor sobre meu iPhone mais do que bugado, nós saímos para almoçar no McDonalds e conhecer o shopping.
Já que eu falei de McDonalds, eu quero registrar minha revolta neste blog. Eu sou uma pessoa que gosta de fazer gordice, mas em dias normais (quando eu não tô de TPM), eu não como muito, então quando eu vou comer no Mc sempre sobra sanduíche, quando não sobra sanduíche E batata frita. Um belo dia, minha mãe só deu 22 reais para que eu e a minha irmã comêssemos e como eu queria muito um sanduíche, eu peguei um Duplo Bacon na promoção "Pequenos Preços". Foi amor a primeira vista *-* Aquele sanduíche com dois hambúrgueres e muito bacon, mas ainda assim pequeno o suficiente para não me deixar enjoada, roubou meu coração de uma forma inacreditável. Nas duas próximas vezes que eu fui ao McDonalds eu pedi ele dando continuidade a mais linda história de amor que o mundo já viu.
Só que aí o dia 24/12/2013 chegou e a promoção expirou, dando espaço a novos sanduíches. Eu não ligaria de dar mais de 6 reais em um Duplo Bacon. De verdade, eu daria até 20! Só que, quando eu perguntei para a atendente, o que ela me respondeu? O SANDUÍCHE NÃO ESTÁ MAIS NO CARDÁPIO! ELES TIRARAM O MEU AMOR DE MIM! ELES ACABARAM COMIGO E ME DEIXARAM DESTROÇADA NO CHÃO FRIO COMO DIRIA A MÚSICA DA TAYLOR SWIFT. E AGORA O QUE VAI SER DA MINHA VIDA SEM MEU DUPLO BACON???????????
Passei as últimas semanas procurando pelo sanduíche que poderia preencher esse vazio, mas foi a busca foi mais do que mal sucedida. Experimentei o Quarteirão no meu aniversário e quase morri afogada de tanta cebola, o mesmo vale pro Cheddar, que tem mais cebola do que Cheddar e tá duas vezes mais caro do que o sanduíche exa-ta-men-te igual do Burguer King. O jeito é voltar pra rotina Big Mac - CBO e esperar que um dia me devolvam meu amor verdadeiro.
De qualquer jeito, aqui vão as fotos do meu Sweet 16. Tanto dia 15, como dia 18 - o dia do meu aniversário mesmo, em que eu não fiz nada além de morfar na cama e perturbar minha melhor amiga, justamente como eu disse que ia fazer.



É isso. Agora é enfrentar a vida com 16 anos. Isso não vai ser fácil.
Volto rápido, prometo.
G.

P.S.: No dia da inauguração, se você postasse uma foto com a tag #EuNoVillageMall no instagram, você ganhava a foto revelada e eu fiz isso com a foto minha com a camiseta comemorativa. Dois dias atrás eu recebi um comentário dizendo que a minha foto foi publicada na revista interna do Shopping, na mesma sessão em que várias atrizes já tiveram a sua foto publicada. Assim que eu pegar a revista no Shopping, eu posto no Instagram e talvez aqui pra vocês.

14/02/2014

Sobre fazer 16 anos..

Olá! Feliz dia de São Valetim! Eu sei que hoje era dia de As Crônicas de Kat, mas como eu disse no evento do Capítulo Duplo, eu sofri um bug muito sério a respeito da história e empaquei. Note que eu não deixei de trabalhar na história, mas eu não sabia como eu ia resolver o maior impasse de todos os tempos. E para substituir a postagem de ACDK e manter a tradição que começou dois anos atrás, de todo fevereiro falar sobre a idade que eu vou fazer, eu resolvi escrever isso aqui:
Aqui vai meu maior pensamento sobre ter quase 16 anos "Eu tô ficando tão velha!!!!!". Sério, porque 13 é uma idade fofinha, 14 é uma idade problemática, 15 é clichê, mas 16? 16 é jovem adulto.
De repente, você é velha demais para aqueles dramas que vinham te consumindo nos últimos anos. Todo mundo quer saber quais são seus planos para o futuro, se você ainda é virgem (virgem? eu sou de aquário! sajnsdnds brincadeira, eu ainda sou até bv, é), quando você começa a trabalhar... 2 anos atrás eu estava reclamando que agora eu tinha chegado a um ponto onde eu aparentava ter a idade que tinha, mas agora eu já tô chegando na fase de parecer mais nova do que eu realmente sou.
Se derem uma olhada nas histórias que eu escrevia aos 11, 12, 13 anos, E INCLUSIVE MEU PRÓPRIO LIVRO COM LANÇAMENTO PREVISTO PARA "EM BREVE", vão perceber que eu sempre achei que 16 fosse uma idade completamente mágica onde garotas ganham poderes e salvam o mundo (sério), mas a essa altura do campeonato, depois de tudo que eu passei aos 14 e ser tão decepcionada com os 15, ou tudo que eu sabia sobre a adolescência é mentira ou eu sou muito ruim em ser adolescentes (as duas possibilidades são totalmente plausíveis).
Então, pela primeira vez desde que este blog foi criado, eu embarco em uma idade nova sem grandes planos ou grandes esperanças. Na verdade, sem planos ou esperanças. E já que todo mundo já me disse que essa história de não fazer planos é muito ruim e que não é assim que se vive, eu peço um momento para explicar minha lógica:
Depois de passar dois anos planejando realizar sonhos pequenos que nunca deram certo, graças ao fato de que eu sou uma adolescente de classe média média bancada simplesmente pela mãe, vivendo em um país onde o aumento do salário nunca é maior que o da inflação, em das cidades com qualidade de vida mais precária e custo de vida mais caro, eu simplesmente resolvi que não vou mais planejar porcaria nenhuma. E se alguém disser que nada é impossível pra quem se esforça, eu vou pegar uma faca!
Não é como se eu fosse deixar de acreditar nos meus grandes sonhos, ou parar minha leitura diária do livro da Demi Lovato. Eu ainda vou ser uma adolescente feliz, velha e contente de 16 anos. Tudo que eu estou dizendo é que dessa vez eu não vou dizer que pretendo voltar pra natação (como eu disse aos 14), ou insinuar que talvez eu arranje um namorado esse ano (como eu disse aos 15. SÉRIO, ONDE EU TAVA COM A CABEÇA????), porque se isso não acontecer eu vou simplesmente achar que a minha vida é uma merda. Não planejando nada, eu não me surpreendo com as coisas ruins e dou ainda mais valor às boas. Não é como se eu fosse desistir de tudo.
G.

PS.: Na verdade, eu tô muito animada pra fazer 16 anos. Porque eu acho que 16, 17 e 18 são as idades mais maneiras que as pessoas podem fazer na vida. Eu só não disse isso antes porque se animar por causa de um número é tão 15 anos.

10/02/2014

Diário de Bordo 3 - Make it magical - Parte 10: Primeiro VESTIBULAR dia VESTIBULAR do VESTIBULAR terceiro VESTIBULAR ano VESTIBULAR!!!!!!

Ok, eu inventei o título desse post antes de ir pra escola porque todo mundo me dizia que primeiro dia de aula do terceiro ano se resume em vestibular, mas na verdade o título não faz jus ao meu primeiro dia de aula até porque o único professor que citou o vestibular foi o de história, que marcou meu dia com a frase "Sem trabalho, em janeiro de 2014, você era um estudante. Em janeiro de 2015, você é um desempregado.". Ou seja ele basicamente atirou na minha cara a noção de que agora eu sou uma adulta, completamente responsável pelas escolhas que vou tomar este ano, que vão definir todo o meu futuro. Sem pressão.
Já comecei o ano com aulas de duas matérias que eu adoro - inglês e história - e a que eu mais abomino na face da terra - química. Eu estou confusa a respeito dos mus sentimentos sobre o professor desta última. De verdade, eu achei ele meio... desinteressante, mas por outro lado ele deu uma olhada no livro que eu estou lendo - Sussurro da Becca Fitzpatrick, sim, ainda, mas eu acho que acabo essa noite - e não deduziu que era um romance idiota de adolescentes (como todos os meus professores deduzem e me perguntam), ele disse "Terror?" e eu com um maior prazer abri um sorriso e disse "É, mais ou menos". Mas uns 20 minutos depois ele me mandou guardar o livro! Já no primeiro dia de aula tinha professor me mandando guardar livro! Tá, ele tinha passado um exercício, mas eu já tinha feito! E o pior de tudo é que na hora em que ele mandou eu guardar o livro eu tava com o celular na mão, mandando mensagem, mas ele nem se importou com este detalhe. Não mandou guardar o celular, mas guardar o livro! Eu guardei, e fiquei até o fim da aula cutucando minhas unhas, mas eu fiquei com uma raiva meio mortal dele. Vou precisar de mais tempo para decidir se minhas aulas de química vão ser boas ou não.
Eu preciso explicar uma coisa que eu tive a maior preguiça de explicar pra quase todo mundo: a escola para a qual me mudei esse ano é a mesma em que eu fiz o 9º ano do fundamental, assim que cheguei no Rio. "MAS GIULIAAAAAAAAA, VOCÊ NÃO VIVIA FALANDO MAL DESSA ESCOLA?" Não, eu não vivia. Eu simplesmente achava o ensino fraco e detestava o número de trabalhos em grupo e o fato de não ter sabonete no banheiro, mas eu tô pronta para aguentar tudo isso pelo último ano, só pra poder estudar sem vontade de arrancar meus olhos. Eu costumava achar minha escola dos últimos dois anos bem melhor do que essa, mas depois do que eu passei ano passado? Eu tava pronta pra ir até para uma pública.
É tão bom, depois de passar pela tortura psicológica que eu passei, estar em uma escola cujo ritmo eu consigo acompanhar. Eu acho que foi assim que os escravos se sentiram quando a escravidão foi abolida e eles partiram para trabalho assalariado... exceto que eles tiveram que trabalhar mais para conseguir se manter, hmmm, tá esquece a analogia. A questão é que ao invés de estar na escola até as 18h, passando por momentos completamente estressantes, hoje eu cheguei em casa 45 minutos mais cedo (última aula foi vaga. Tive duas aulas vagas hoje, por causa do calendário da escola. Há ANOS eu não sabia o que era uma aula vaga.), já tendo feito todas a tarefas em sala (inclusive a de química, que eu acertei, apesar de precisar dar uma revisada em camadas eletrônicas - sério, eu achei que tivesse me livrado disso no primeiro ano) e completamente despreocupada sobre o resto da semana. Ok, hoje é tipo o primeiro dia de aula e muitas coisas podem acontecer com o passar do tempo, mas eu estou supertranquila sobre o meu futuro na escola porque eu sei que consigo enfrentar, sem prejudicar minhas outras atividades.
As pessoas estão tipo "Mas é terceiro ano, você tem que estudar muito e pensar só em estudo mesmo", uma menina mais nova que eu e que acabou de começar o ensino médio, disse pra mim que "é melhor eu me dedicar mais porque é ano de Enem" e eu tô meio "tá, mas e daí?". E é aí que o desespero começa com todo mundo arregalando os olhos e dizendo "E se você não passar no vestibular?" e a linda resposta é "Eu tento de novo até conseguir!"
Não é como se estivesse andando e cagando pra coisa toda. Desde criança o trato sempre foi que eu iria para uma faculdade pública e trabalharia para cobrir os gastos desse período, porque minha mãe fez isso e se saiu muito bem. Por um momento, eu realmente pensei em desistir do diploma de ensino superior de tão esgotante que o segundo ano foi pra mim, mas cheguei à conclusão de que fazer faculdade é importante para ser escritora também, e talvez uma parte de mim realmente queira ser jornalista, então eu vou prestar vestibular esse ano e vou me esforçar para passar pra a faculdade que eu quero. Mas entendam eu sou uma das poucas pessoas que eu conheço que aos 15 - quase 16 - anos já sabe o que quer fazer da vida e eu quero escrever e quero muito publicar meu livro esse ano. Quais as chances de conseguir publicar e vender um livro independente estudando das 7h às 18h? A escrita é a prioridade máxima na minha vida e é ÓBVIO que eu preciso estudar para ir bem nisso também, mas publicar um livro é mais do que só escrever.
Como não é o meu sonho passar em um curso concorrido em uma faculdade difícil de entrar, certas coisas, como estudar 60,5 horas por semana não valem a pena (!!!). Tem gente que realmente sonha em passar para uma faculdade extremamente concorrida ou que quer ser militar, e esse estudo maluco pode ser a última chance. Se seu sonho é esse, vai fundo, mas passar tanto tempo com a cabeça em fórmulas e estudo não é bem a minha praia. Eu só acho que isso tudo só adianta se for realmente o seu sonho, se você está se dedicando porque quando você conseguir o que tanto deseja e terminar a faculdade dos seus sonhos, você vai ser feliz. Porque eu vejo o tempo todo gente se matando de estudar, pra passar pra faculdade pra se matar mais de estudar e depois se matar de trabalhar e ganhar rios de dinheiro, mas não poder gastar por causa do trabalho. Simplesmente não vale a pena passar a vida toda nessa. Acho que qualquer tipo de esforço só compensa se for trazer felicidade, caso contrário, melhor dormir.
G.

07/02/2014

♡♡♡♡♡♡ 3 anos ♡♡♡♡♡♡


*toca Story Of My Life do One Direction ao fundo* 3 anos atrás eu começava a postar aqui. Apesar de já ter tido blogs antes, eu não fazia ideia do que estava me metendo.
Só tinha 12 anos (quase 13), e pela 3ª vez em 2 anos, estava em uma cidade nova, começando em uma escola nova. Tinha acabado de sofrer cyberbullying por uns dias e não sabia muito bem o que fazer da vida.
Então eu escrevi um monte de pensamentos aleatórios, sobre sentimentos e besteiras com as quais ninguém  se importava de verdade. E de repente, antes que eu pudesse perceber, alguém se importou e levou mais alguém a se importar e de repente, eu queria que se importassem.
Resolvi falar sobre mim mesma e sobre o que eu pensava, sobre o que eu sentia, e como tudo me assustava e eu queria que alguém soubesse. E depois de intensa encheção de saco divulgação, mais gente começou a se interessar e se divertir, com as doideiras de uma adolescente em borderline.
E agora, 3 anos, 255 posts, 79 seguidores, 20.548 visualizações, 240 curtidas e 4,009 seguidores do twitter depois, aqui estamos nós com mais feedback positivo do que eu gosto de admitir




E se você contar as histórias postadas aqui, talvez ainda mais um pouquinho:


E se contar alguns comentários sobre os posts e o layout:



Os últimos 3 anos, tem sido constantemente ou céu ou inferno pra mim. Mas mesmo que eu já tenha pensado em desistir disso tudo e mesmo com as minhas constantes reclamações sobre a falta de comentários e de views e mesmo com o meu sumiço por alguns meses um bom tempo, esse blog virou meu mundo e meus leitores meus conterrâneos, e você nunca abandona suas raízes.
3 anos é apenas o começo!
Sua fiel escudeira,
G.

OPA PERAAAAAAAAAAAA, NÃO, EU NÃO ESQUECI DO VÍDEO! Ele ficou bem melhor do que o vídeo que eu tentei fazer ano passado, mas ainda assim, poderia ter sido muito melhor do que isso. Enfim, espero que aproveitem. Com vocês: Os melhores momentos dos 3 anos de blog!



P.S.: Eu tentei ser engraçada com o making off, mas não deu muito certo.
P.S. 2: Desculpem os problemas do som, meu computador não cooperou.
P.S. 3: Desculpem os problemas de pronuncia, e as interrupções no meio, é que meu cérebro funciona muito mais rápido que a minha boca, então provavelmente eu estava pensando em bananas slip (eu nunca comi isso), enquanto tentava me concentrar no que falava.
P.S. 4: Desculpem pelos PSs, mania de ficar me justificando.