Cós e Prontas: cidade grande X cidade pequena

by - 17:28

Olá pessoas que nunca comentam As Crônicas de Kat, tudo certinho? (Menos a Ju, linda que começou a ler ACDK ontem e comentou Ellie<3) Post domingo é meio novidade aqui no blog, mas era pra eu ter postado isso ontem, só que eu perdi a criatividade no finalzinho e hoje estava disposta a terminar isso aqui.
Esse post começa uma coluna nova, cuja ideia surgiu no mês passado, a Cós e Prontas. Sim, é exatamente o que vocês estão pensando: Era pra ser Prós e Contras, mas era tão clichê que eu precisei pensar em um nome mais original; enquanto pensava eu falei o início das palavras ao contrário eu percebi que dava duas palavras que existem (tirando o último R do Prontras, claro) e comecei a rir muito (porque eu sou idiota a esse ponto) aí resolvi que seria esse nome mesmo. A coluna vai funcionar desse jeito: eu vou pegar aspectos relacionados ao assunto do post e escolher um pró e um contra de cada aspecto para cada item.
Precisei começar com cidade grande versus cidade pequena por motivos diferentes: Primeiro, convencer a mim mesma de que morar em cidade pequena tem vantagens porque no momento eu to longe de acreditar nisso. Como vocês sabem, essa semana tem Bienal do Livro de SP e esse é só um dos muitos eventos que eu tenho perdido enquanto moro em Vitória da Conquista, então basicamente eu estou revoltada com a vida no momento. O segundo motivo é que eu preciso mostrar para as pessoas que eu não odeio a cidade onde eu nasci, mesmo que na verdade eu odeie e provar que eu não sou uma pessoa que só sabe reclamar sobre a vida, mesmo que no momento eu esteja sendo. E o terceiro motivo é porque eu sempre digo que tudo tem um lado bom, tudo tem vantagens, então eu preciso mostrar ao mundo algumas mesmo que precise cavar muito fundo para provar que eu estou certa, o que é uma das coisas que eu mais gosto. Isso tendo sendo dito, vamo que vamo:

Tamanho.
Claro que eu ia começar com isso porque que define uma cidade como grande ou pequena é o tamanho dela (dã). Agora esse "tamanho" pode significar várias coisas: área, população, densidade, etc. Eu vou falar disso tudo de uma vez só.
Em uma comparação entre o Rio de Janeiro (cidade que eu morava antes e a segunda maior do Brasil) e Vitória da Conquista (cidade que eu moro no momento e terceira maior do estado da Bahia): a primeira tem 43.696 km² de área, 6 429 923 habitantes e 5 438,51 habitantes por km² enquanto a segunda tem 3.743 km² de área (Incluindo zona rural. E isso é importante porque de acordo com o IBGE em área VDC é maior que Belo Horizonte e Salvador. JUNTAS!), 336 990 habitantes, e 105,17 habitantes por km².

Cidade grande
Prós: Sempre tem lugares novos para ver, pessoas novas para conhecer, coisas para fazer. Tédio não é uma característica de uma cidade cujo número de habitantes é medido em milhões; mesmo que você caia na rotina você acaba vivendo situações inusitadas no trabalho, na escola, no ônibus, na rua. Sem falar que com muitos habitantes, eventos interessantes acontecerem com mais frequência.
Contras: Ônibus cheio em viagens que levam duas ou três horas. Ter que sair de casa duas ou três horas antes do compromisso que não for no seu bairro. Facilidade em se perder - e se for em uma cidade perigosa acabar em territórios dominados. Sem falar que se você pega o ônibus errado sem querer pode ir parar do outro lado da cidade e mesmo que você pegue o mesmo ônibus para voltar nada garante que ele passe pelo mesmo lugar onde você o pegou na ida.

Cidade pequena
Prós: Poder sair de casa quinze minutos antes do compromisso e chegar lá antes da hora. Geralmente um ônibus só (para o centro) passa no seu bairro então a probabilidade de pegar um ônibus errado é praticamente nula e mesmo que você pegue, é só fazer o caminho de volta andando, ou voltar para o centro, onde 75% dos ônibus passa. Ônibus lotado pode até ter, já que o fluxo de ônibus é menor, mas geralmente só nos horários de pico (6h da manhã e 6h da tarde) pra ser mais exata. A violência também é menor-geralmente. Na cidade em que eu moro por exemplo a violência está bem longe de ser menor do que no Rio de Janeiro. Assassinato de menor de idade - seja em assaltos ou pela polícia - aqui acontece quase todos os dias. E ainda há um agravante: à noite, as ruas - ruas até mesmo do centro - ficam completamente desertas, então digamos que alguém tente te assaltar desarmado: não adianta nem gritar, não tem ninguém na rua para ajudar você.
Contras: Você pode até não conhecer todo mundo, mas todo mundo te conhece ou conhece alguém da sua família, ou seja: aquele tombo micado que você levou na rua? Sua família já tá sabendo. Matou aula? sua família já tá sabendo. Gastou mais do que devia em um vestido só porque ele é maravilhoso? Sua família já tá sabendo. Além disso, tédio? O tempo todo. Lugares novos para sair? Só se for na cidade vizinha. Festa? Aniversário de criança, casamentos da família, chá de bebê, formatura de primo de 5º grau e só! Shows? Se você gosta de Lé-com-cré, Parangolé, Fulano e seus teclados, você está no lugar certo. (Sendo justa, como a cidade em que eu moro é a mais fria da Bahia, existe um evento aqui - que acontece no próximo final de semana - chamado Festival de Inverno - que é tipo o Festival de Verão, só que no inverno - que vai trazer CPM 22, Gilberto Gil, Vanessa da Mata, Ira!, Capital Inicial, Paralamas, Natiruts, Skank, entre outros. Não são os convidados dos sonhos, maaaas, tá bom demais).

Comércio.
Comércio em cidades pequenas e cidades grandes é algo muito complexo. Depende de diversas coisas: como a mercadoria, o estado, o tamanho exato da cidade, o tamanho exato da população, a influência da marca sobre as pessoas, o número de consumidores de determinados produtos, a importância do produto para a vida da população, a importância do produto para a vida naquela determinada cidade, entre muitas outras coisas. Eu vou tentar resumir tudo em alguns prós e contras.

Cidade grande
Prós: É consideravelmente fácil encontrar o que você está procurando. Se o que você quer não existe em grandes lojas de departamentos (sempre presentes em cidades grandes), existem grandes chances de você encontrar nos camelódromos (sempre presentes em cidades grandes também). O comércio de metrópoles está sempre buscando formas de suprir as necessidades da população como um todo. E "necessidades" em uma sociedade de consumo pode significar muitas coisas. Não é preciso ser necessário de verdade para ser vendido em um grande centro. Agora deixa eu chamar meu professor de sociologia para ler esse post porque eu to merecendo uns pontos extras na matéria...
Contras: Os preços nem sempre são os melhores. É uma questão de lógica: com a maior procura as lojas colocam o preço que quiserem, as pessoas vão comprar de qualquer jeito. Até mercadinhos de esquina cobram caro.

Cidade pequena
Prós: Os preços melhoram um pouco. As empresas que chegam se veem obrigadas em fazer de tudo para chamar a atenção do público alvo. Mas até mesmo isso é relativo: aqui escolas particulares são muito mais caras que no Rio de Janeiro, e roupas de lojas da cidade também: enquanto eu pagava 432,00 reais na escola no Rio, aqui o valor é 1024,00 reais (mas eu tenho desconto) e enquanto no Rio a gente encontra vestidos de festa de até 200 reais em lojas de marca (na Zara mesmo eu vi o vestido de formatura dos meus sonhos, desse preço), aqui este é o preço de calças jeans em lojas de marcas criadas na cidade. Por outro lado, enquanto você não encontra latas de Coca-Cola de menos de 3,00 reais, aqui o valor geralmente é a metade disso.
Contras: Fica mais difícil encontrar o que você quer. No meu caso, uma das coisas mais horríveis é que eu quase nunca entro em uma livraria para achar o que eu quero. A livraria daqui permite encomendas, mas leva tanto tempo pra chegar que junto com o frete absurdo, simplesmente não compensa. Também há esse detalhe: enquanto nas cidades grandes muitas compras online chegam até em um dia com frete grátis, nas cidades pequenas levam até 2 meses para chegar e com fretes absurdos.

Transportes.
Eu sei que eu já falei sobre ônibus, mas quero colocar isso de uma forma mais direta. Uma coisa muito importante é o preço da passagem de ônibus: no Rio o valor é 3,00 reais e em Vitória da Conquista 2,10 (e esse valor é considerado absurdo por boa parte da população). Quando eu saí da Bahia em 2009, o preço da passagem aqui era 1,90 o que significa que em 5 anos a passagem subiu 20 centavos. Quando eu cheguei na capital do Rio de Janeiro em 2011 o preço da passagem era 2,50, o que significa que em 3 anos a passagem subiu 50 centavos. Além disso, enquanto aqui qualquer estudante paga metade da passagem para ir a qualquer lugar, na capital do Rio estudante de escola pública apenas viaja de graça, mas só para ir para a escola e só uniformizado. Outros detalhes nos prós e contras.

Cidade grande
Prós: O fluxo de ônibus é mais constante e ainda existem outras formas de se locomover, como trem e metrô. Não interessa em que bairro você esteja geralmente vários ônibus passam para lugares diferentes da cidade. Existem vantagens como cartões de passagens que garantem que você viaje em mais de um transporte sem pagar o valor total (no Rio, o Bilhete Único). Se tiver greve e você estudar longe, você não leva falta (geralmente).
Contras: Como já foi dito antes, existe chances de você querer ir pra Londres e acabar em Sydney simplesmente por pegar um ônibus errado. Os preços de passagens em cidades grandes geralmente são muito maiores que em cidades pequenas. Transportes lotados em diversos períodos do dia. Se o transporte pifar no meio do caminho, existem grandes chances de você acabar em uma localização perigosa. Ás vezes você precisa pegar mais de dois transportes para viajar entre um bairro e outro (não existe a vantagem de um terminal central onde você pode ir e pegar ônibus para todas os lugares da cidade). Se tiver greve e você trabalhar longe, você se ferra (geralmente também). Além disso para quem tem carro ou moto, os engarrafamentos acontecem diariamente e é necessário criar táticas horríveis para escapar dele (como, por exemplo, sair de casa 4h da manhã, chegar no trabalho 5h e ter que dormir no carro até a hora do trabalho)

Cidade pequena
Prós: Se o ônibus pifar, você desce e vai andando. Passagens mais baratas. Existe quase sempre um terminal central onde você pode viajar para qualquer lugar (mesmo que o daqui seja uma bosta sem infraestrutura nenhuma onde o ônibus leva mais tempo para chegar até o ponto dele do que o tempo de viagem) e perder um ponto não significa perder a viagem inteira (grande parte do tempo, porque se eu perco o ponto em que eu desço voltando da escola, eu vou parar mais de um quilômetro da minha casa). Ônibus cheio só em hora do rush.
Contras: Poucas opções de transporte, aqui mesmo é ônibus ou táxi. E só.


Socialização.
Numa cidade com muitas pessoas você conhece mais gente interessante, mas numa cidade com menos pessoas você se torna mais próxima de mais gente. Foi mais ou menos essa a resposta que eu dei quando duas colegas minhas me perguntaram se as pessoas eram mais sociáveis no Rio ou em Vitória da Conquista.

Cidade grande
Pró: Sempre tem gente nova pra conhecer. Cansou dos conhecidos atuais? Vá para uma festa em outro bairro e tã-dã. Além disso sempre tem gente excêntrica, gente diferente, gente inesperada. Quanto mais gente, maior a variedade de personalidades que você vai conhecer.
Contra: Mesmo conhecendo toda essa gente, você tem dificuldade em fazer amigos. É dificílimo você se aproximar de verdade de alguém, quando você conhece muita gente, é difícil conhecer detalhes de alguém que conhece muita gente. Além disso, é mais complicado até mesmo para pessoas que você encontra frequentemente, aprender nomes e informações.

Cidade pequena
Pró: Você se aproxima bastante das pessoas. Elas acham mais fácil aprender seu nome, sua data de aniversário e outras informações. É mais fácil se tornar amigo de alguém com quem você encontrou coisas em comum.
Contra: Você convive mais frequentemente com as mesmas pessoas e acaba descobrindo coisas sobre elas que acabam com a boa primeira impressão.

Conclusão: Gostar de cidade grande e cidade pequena depende muito da pessoa. Ambos os tipos de cidade possuem seus prós tetadores e só cada um pode decidir se os contras valem a pena ou não. Eu, por exemplo, sou uma pessoa de cidade grande. Gosto de passar muito tempo em ônibus, tenho minhas táticas para sobreviver em ônibus lotados, gosto de não conhecer mais do que deveria das pessoas, gosto de barulho, de uma vida corrida, de me estressar. E vocês? Preferem cidade grande ou pequena?

G.

You May Also Like

4 comentários

  1. Oi Giu,
    minha vida desde 2008 é meio nesse dilema "cidade grande ou cidade pequena". tenho meus motivos para odiar são paulo, mas hoje já não me vejo voltando para a minha antiga cidade. penso que poderia nunca ter saído de lá, porém eu seria totalmente diferente do que sou hoje e, às vezes, não gosto da pessoa que eu poderia ter me tornado e aí eu acabo agradecendo são paulo.
    acho que vou ficar nesse dilema pelo resto da minha vida. você pensa no que se tornou, no que deveria ter se tornado, se aquilo não tivesse acontecido você estaria do jeito que está hoje?
    eu gosto de cidade grande por causa das oportunidades que ela te oferece, meus sonhos cresceram 100% desde que eu me mudei, mas não gosto dela porque as pessoas parecem mais frias e distantes (não sei se só eu sinto isso). gosto de cidade pequena porque lá você nasce conhecendo todo mundo (na minha tinha apenas 20.000 habitantes) e então é meio impossível ser antissocial por completo, mas odeio ela por todo mundo saber da sua vida e como algumas coisas lá são limitadas.
    enfim, tenho meus prós e contras também e acho que nunca vou me decidir quem prefiro :|

    beijos da menina que quando comenta faz um texto quase maior que o post,
    tatii

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi menina dos comentários perfeitos (Eu adoro ler comentários grandes Tatii, e nem sempre consigo escrever comentários assim :( )
      Enfim, eu acho que entendo exatamente o que você quer dizer. Pensar como eu seria se algumas coisas não tivessem acontecido é frequente e bem frustrante. E não adianta pensar que eu não vou conseguir mudar nada porque eu odeio coisas que eu não posso controlar. É complexo.
      Quanto a sua indecisão sobre preferir cidade grande ou pequena, talvez chegue uma hora em que você não precise escolher. Aí você vai poder ter uma casa em uma cidade grande e uma em uma pequena? E fica em cada uma de acordo com seu humor no dia. Sonhar assim, sempre..
      G.

      Excluir
  2. Oi Giulia!
    Quanto tempo não? Pois é, andei procrastinando por aí (culpa sua eu ficar usando essa palavra a todo momento) e não li ACDK (estou morrendo por dentro, por culpa e por ansiedade) e nem comentei .-.
    Mas anyways... Adorei esse post, e dando minha opinião: Se eu fosse rica, eu iria morar na cidade grande, mas como AINDA sou pobre (choremos) prefiro morar na minha cidade pequena.
    Ah, ri muito com sua importante e difícil decisão para o nome da coluna.
    =D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyy, que saudade. Te mal influenciei com essa história de procrastinação né? Desculpinha. Fica tranquila sobre ACDK, mas vou ficar esperando você ler e comentar. Foi difícil mesmo, tá?
      Vê se não some,
      Beijo <3

      Excluir