Diário de Bordo 4 - Me descobrindo - Parte 9: Eu realmente tenho faculdades para estar na faculdade?

by - 22:26

Ok, então eu acabei de voltar de um dia supercheio que selou de vez o mesmo destino que alguns meses atrás eu não tinha certeza de como seria. Tradução: EU FIZ MINHA MATRICULA NO PRIMEIRO PERÍODO DA FACULDADE DE JORNALISMO!!!!111!!! Mesmo que as coisas não tenham saído do jeito que eu queria inicialmente, eu estou muito feliz com como elas estão no momento. Deixa eu explicar: eu ainda não vou morar no Rio este ano. Não passei na primeira chamada das universidades de lá e como minhas colocações foram mais ou menos 252º de 13, 96º de 27 e 316º de 16, eu duvido muito que passe nas próximas. Isso não quer dizer que eu desisti, naturalmente, mas que eu vou ter que estudar pelo menos um ano na Bahia ainda porque eu pelo menos PASSEI EM SEGUNDO LUGAR NO VESTIBULAR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA!! Mas deixa eu contar tudo do início.
Como quase todo mundo sabe eu sou baiana, mas morei por 4 anos no Rio de Janeiro (um ano no interior e três na capital). Quando a minha mãe morreu, em abril do ano passado, eu precisei voltar para a Bahia para morar com meus avós, a contragosto, mas não pude fazer muita coisa a respeito. Ficou combinado que isso seria apenas uma ação emergencial durante 2014 e que se eu passasse no vestibular da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, fariam de tudo para que eu pudesse voltar a morar no Rio em 2015. Muita confusão depois eu prestei o Enem, fiz as três provas da Uerj e me inscrevi também no vestibular daqui para ter um plano B. No post em que expliquei as mudanças que aconteceram, deixei claro o que queria para o meu futuro:
"Mês que vem eu volto no Rio, para fazer o vestibular da UERJ. Vou fazer o ENEM também e tentar para a UFRJ e talvez até a UFF. Se não der certo, a Rural. Também vou fazer dois vestibulares daqui (um deles já é dia 18!!!), mas é mais como uma garantia. De verdade, se eu perder nas de lá e passar nas daqui, eu entro aqui, mas tento pra lá ano que vem pra de novo e no ano seguinte e no seguinte até terminar a faculdade aqui ou passar para lá.
Eu amo a Bahia. Tenho muito orgulho de ser baiana, amo esse povo lindo demais, nunca quis nem perder o sotaque. Mas acredito que algumas coisas são feitas para permanecerem apenas na memória, sendo lembradas com saudade ou com a certeza de que foi tudo uma boa lição. Vitória da Conquista é uma dessas coisas. Por isso tento me adaptar, mas faço isso com a certeza de que isso tudo é temporário."
Como não passei para o Rio, mas passei para cá, o plano segue o mesmo: passarei os próximos anos tentando voltar. Eu ouvi algumas coisas sobre transferências entre universidades públicas e pretendo tentar isso ano que vem, até porque já terei 18 anos, o que deixará as coisas mais fáceis. Mas, por enquanto, eu começarei a faculdade de Jornalismo aqui, na mesma universidade que minha mãe estudou. Mesmo estando feliz com isso, eu fico um pouquinho revoltada em pensar que eu fiquei em 2º lugar para uma faculdade cujo vestibular eu quase não fiz e fiquei em 252º lugar em uma faculdade para qual eu me esforcei muito (e gastei uma grana preta em passagem para prestar vestibular), mas a vida tem dessas coisas mesmo.
Como todo mundo sabe que eu chutei boa parte da prova eu fico com medo das pessoas acharem que eu estava nem aí para o vestibular da UESB, mas não é bem verdade. Realmente a UESB não era a minha primeira opção de faculdade e eu estava exausta quando fiz a prova, mas eu me esforcei nela também (ninguém tira 9 em uma redação de vestibular sem se esforçar, né amiguinhos?) e eu acho meu 2º lugar, de certa forma merecido, apesar de não saber como ele aconteceu.

Gif aleatório para quebrar a tensão porque eu realmente não tenho imagens para usar nesse post.
Hoje eu finalmente fui fazer minha matrícula e posso ser considerada oficialmente uma estudante de jornalismo (*sussurra gritando* AIMEUDEUS). O processo da matricula é complicado e cada faculdade lida com isso de um jeito. Minha própria faculdade tem uns três jeitos diferentes para os aprovados no vestibular, no Sisu, transferidos, etc. Deixa eu explicar o processo da minha matrícula, como estudante aprovada no vestibular: é foi dividida em duas partes a pré-matricula, onde a gente leva os documentos básicos para fazer o requerimento e para a faculdade saber se está tudo em ordem, e a matrícula definitiva, onde a gente assina os documentos, organiza os últimos detalhes, é colocado na turma definitivamente, pega a grade e etc.
Quando eu fui fazer a pré-matrícula, dia 27, minha tia e minha irmã foram comigo. Minha tia tinha estudado lá e foi me mostrando onde ficava cada coisa, o que me ajudou muito hoje. Nesse dia nós inclusive passamos pela creche da faculdade, que é para os filhos dos alunos, onde eu passei boa parte dos meus 2 primeiros anos de vida. Não foi necessariamente naquela creche, mas em uma mesma instituição de outro campus. Ainda assim é bizarro demais pensar que eu frequentei aquela creche quando era bebê e agora frequentarei a faculdade responsável por ela.
Hoje eu fui finalizar a matrícula cedinho. Quase não cheguei, porque hoje aconteceram três paralisações das linhas de ônibus, o que vem acontecendo aqui ha alguns dias. Mas cheguei e fiquei maravilhada por ter me virado muito bem sozinha no campus. Eu fiquei encantada com aquele lugar, mas parando para pensar não tem nada lá que não tenha em todos os outros campus de universidades do mundo. Eu andei para caramba, porque um erro no meu nome fez eu ter que repetir um dos processos da matrícula. Conheci o professor de Oficina de Radiojornalismo (matéria do 5º semestre) que instruiu a gente a não faltar a primeira semana de aulas por causa do mito de que primeira semana de aula não tem aulas de verdade e ainda deu a mim especificamente as boas vindas à faculdade e também conheci umas 5 pessoas da minha turma. Minha primeira impressão foi legal porque puxaram papo comigo a gente conversou um pouquinho, descobri inclusive que apesar de ser adiantada, eu (como em todos os meus anos de estudo exceto o 8º ano) não sou a mais nova da turma (sempre tem gente que é mais nova por causa de meses) Mas, depois de alguns minutos, eles se fecharam em um grupinho, ficaram conversando apenas entre si e eu até descobri que já existe um grupo no WhatsApp da turma de caluros de jornalismo da faculdade do qual eu não faço parte porque sou excluída. Mas OK, sem depressão, isso foi só o um dia, não posso taxar as pessoas definitivamente, ou achar que serei excluída eternamente. Além disso 5 pessoas são, o quê, 1/10 da turma? 
De qualquer forma, minhas aulas começam no dia 23, ou seja, eu ainda tenho 20 dias de férias, meu aniversário no meio deles. No 1º período, eu terei aula de português instrumental, sociologia geral e da comunicação, história da comunicação, metodologia científica, redação jornalística e comunicação e filosofia. Minhas aulas serão de manhã e no horário de 7h30 a 12h40, mas na maioria dos dias eu não terei todas as aulas. A faculdade é do outro lado da cidade o que quer dizer que, na hora do rush, eu levarei uma hora até lá. Eu estou animada, ansiosa até. Quando as aulas começarem, o último post do Diário de Bordo 4 será sobre meu primeiro dia de aula, como eu tinha prometido à Mar.
Mas, até lá, ainda existe muito chão para caminhar.
G.

P.S.: O próximo post é o de aniversário do blog (que é neste sábado!!!!!). QUEM TÁ ANIMADO AE? EU TO.

You May Also Like

2 comentários

  1. OLÁ JORNALISTA GIULIA (eu estava escrevendo o comentário e apertei alguma coisa e ele apagou, mas aqui estou escrevendo de novo!)
    Fiquei super feliz quando você disse que tinha passado no vestibular, afinal foi meses estressantes no final de 2014, não é? Acho Jornalismo uma profissão incrível, mas nunca pensei em fazer porque sou péssima com dissertações - pergunte para a minha professora de redação do ensino médio.
    Eu também não passei onde eu realmente queria passar, mas, como alguém que acredita fielmente em destino, eu acredito que estou indo para onde eu deveria ir; então eu estou feliz. As coisas acontecem por um motivo e um dia a gente descobre o porquê.
    Eu estou com um pouco de medo na parte das amizades, sou extremamente tímida e às vezes me excluída sem prestar atenção, espero que dê tudo certo. Enfim, a parte ruim já passou - espero que sim - agora é só esperar as férias acabarem e aproveitar a vida de universitária!

    beijos, tatii alves
    http://deliriosdeumabookaholic.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi tatii<3
      Eu concordo em número, gênero e grau contigo. Eu sei que aprendi muita coisa ano passado e se é para ficar aqui por mais tempo e porque sei que ainda tenho muito para aprender. Os resultados dos meus vestibulares foram uma mensagem muito óbvia para mim e eu estava dependendo deles para decidir o que faria da vida.
      E eu acho que a parte ruim já passou mesmo, agora é a hora de aproveitar os melhores anos das nossas vidas.

      Beijos.

      Excluir