Diário de Bordo 5 - Velha demais para isso - Parte 6: Eu saí de casa e resolvi dar uma de crítica gastronômica

by - 22:28

Existia um tempo, uma época longínqua, onde o Diário de Bordo - um especial sobre o que eu faço nas férias (apesar de o objetivo das férias ser justamente não fazer nada) - era cheio de eventos aos quais eu fui e posts sobre dias divertidos que passei (E dizendo isso eu estou implicando que um dia minha vida foi interessante, o que é uma mentira deslavada). Hoje em dia eu tenho 30 séries para manter em dia, um monte de livro pra ler e vontade nenhuma de sair de casa, então não é assim tão fácil escrever sobre dias divertidos e eventos legais. O que eu quero dizer é que quando acontece a raridade de acontecer um evento legal nesse fim de mundo que eu vivo (é fim de mundo, sim), eu preciso escrever a respeito. No começo do mês, eu finalmente vi um evento que me chamou atenção e que, por não ser à noite, eu poderia ir: a Dia de Feira.
Nos dias 16 e 17 de janeiro de 2016 aconteceu a primeira feira culinária de Vitória da Conquista, cujo objetivo, segundo a Prefeitura Municipal, era reunir "diferentes pratos da gastronomia conquistense, produtos do artesanato regional, novidades da moda e atrações musicais, que farão a trilha sonora durante todo o evento. A proposta dos idealizadores é disponibilizar a boa gastronomia a preços mais populares - os valores dos pratos variam de R$ 5 a R$ 20.". Se deu certo? Isso é debatível. A questão é que eu tenho vontade de comer algo diferente e criativo e de sair opinando sobre esse algo desde a última temporada do Masterchef Júnior Brasil, então quando eu vi o evento do evento (?) no Facebook, resolvi que precisava ir. Fui no domingo, 17, saindo de casa assim que acordei, praticamente de barriga vazia, para poder experimentar tudo que eu encontrasse e gostasse. Mantenham em mente que no total, eu e minha irmã gastamos 70 reais (eu 40 e ela 30) e comemos até bastante, mas não a ponto de ter uma noção de tudo, já que a feira tinha muitas opções mesmo. Foi mais ou menos assim que aconteceu:

O almoço
Eu nem tinha tomado café, mas assim que entrei fui procurar algo que me lembrasse um almoço completo (refeição + bebida + sobremesa). Foi um pouco complicado de escolher, porque as opções eram diversas. Além disso, eu percebi logo algo que algumas pessoas tinham reclamado no Facebook no dia anterior: o espaço era pequeno e a música ao vivo um pouco alta demais (não a ponto de eu precisar gritar para falar com minha irmã, mas a ponto de precisar andar bem perto dela para que pudéssemos nos ouvir). Eu estava esperando um espaço mais aberto, com mesas no centro. Ao invés disso, eram dois "círculos" separados: um com as barracas e um com mesas e cadeiras. Em defesa dos organizadores, o tempo anda bastante instável e aquela provavelmente foi a melhor forma de não deixar tudo ser estragado pela chuva. Ainda assim, a sensação era meio claustrofóbica. Depois de dar uma circulada pelo espaço, descobrir que eu tinha que comprar fichas de 10 ou 5 reais para poder comprar os produtos, eu decidi comer isso aqui:

Sanduíche artesanal de pernil com acabaxi, limonada rosa e bolo de copo sabor Oreo.
Sanduíche Artesanal de Pernil com Abacaxi (Rangaria - Lanche Artesanal) - R$10: Minha avaliação foi de que o prato ganha mais pela ideia do que pelo sabor. Estava gostoso, mas o resultado final não era o que eu esperava quando eu vi a ideia do sanduíche no cartaz. Estava esperando algo explosivo, que me deixasse tão surpresa quanto a ideia de um sanduíche de pernil com abacaxi me deixou. Não foi o caso. Minha irmã - que também comeu o sanduíche - achou que o sabor não teria erros se não tivesse tanta gordura no pernil: "Se fosse apenas o pernil liso e o abacaxi, o sanduíche seria perfeito".

Limonada rosa (A Limonada Rosa) - R$5: É uma limonada, com uma calda de morango feita apenas com morango (ou seja, sem açúcar). É limonada. Rosa. Nada além disso. O que eu queria? Também não sei.

Bolo de copo sabor Oreo (Magda Fernandes Patisserie) - R$10: Ok, na verdade isso foi minha irmã quem comprou, porque eu nunca compraria algo com tanto chocolate (não consigo lidar com muito chocolate), mas eu comi um pedaço para poder avaliar e pedi a opinião da minha irmã também. Eu achei que deve ser bom pra quem gosta de Oreo e de muito chocolate com leite condensado. Realmente tinha gosto de Oreo e você podia ver que era bem feito e gostoso, só não se adequava ao meu paladar. Minha irmã disse: "Achei gostoso. É bom, porque estava na quantidade certa, nem pouco para te deixar com fome, nem demais para te enjoar."

As coisas que eu comprei porque o olho foi maior que a barriga:
Ninguém vai lá para feiras culinárias comer um prato só. Se tem várias opções, você vai comer várias coisas. Ainda assim, eu não percebi até depois que o preço tabelado te faz gastar mais do que gastaria em outros lugares. Por exemplo, NUNCA que eu daria 5 reais em uma limonada rosa em nenhum outro lugar do mundo, mas como 5 reais era o preço mais barato que um produto da feira poderia ter, naquele ambiente se tornou barato. É isso que querem dizer quando falam de goumertização né? Demorou pra me afetar.
Depois desse almoço, eu estava vergonhosamente cheia (eu nem comi nada direito, gente), mas tinha uma coisinha que eu queria experimentar. No dia anterior, eu tinha visto comentários no Facebook sobre a barraca de comida vegana e como boa fã de MisterWives que morria de vontade de saber como é hambúrguer de lentilha, eu tive que ir experimentar. Isso acabou rendendo outra história estilo a do milkshake de leite de coco, banana e amêndoas da Bienal, mas vocês vão saber da história mais a frente (a do hambúrguer, não a do milkshake - a do milkshake é dolorosa demais).

Fora da imagem: Picolés que eu não lembrei de anotar a marca, nem de fotografar. Profissionalismo é tudo.
Picolé de Mangaba (stalkeei o Instagram do Dia de Feira inteiro e não achei a marca, vocês estão pior que eu) - 2 por R$5: Também foi minha irmã quem comprou, mas ela não gostou do de mangaba e me deu. Eu gostei! Minha irmã disse que parecia feito só de adoçante e por isso me deu, mas pra mim tinha gosto de todo picolé de mangaba que eu já comi na vida. Nada demais.

Brownie tradicional (Chef Brownie) - R$10 (tinha de 10 e de 5, ambos caros demais para o tamanho): Eu comi horas depois, quando já estava morrendo de fome outra vez, MASS realmente estava bom. Não bom o suficiente para valer tudo que foi cobrado, eu ainda estou chocada por ter dado isso tudo em um brownie, mas eu que fui a louca em comprar, então preciso ser justa e admitir que estava delicioso.

Pasteis de queijo e presunto (Excelente pergunta, eu não consigo lembrar de jeito nenhum) - R$5: Eu não pude comer porque estou proibida de comer fritura (só de olhar pra foto já tá me dando azia, então não faz diferença) e minha irmã resumiu a avaliação dela a: Estavam maravilhosos, melhores pasteizinhos. E eu nem anotei a loja pra poder indicar direitinho. Essa foi oficialmente a avaliação mais decepcionante desse post. A única dúvida que me resta é: Como uma cesta de pasteizinhos é mais barata do que um brownie??

Hambúrguer de lentilha (Ju Rolemberg - Comida Vegana) - R$10: Como foi dito anteriormente, esse hambúrguer foi o produto da feira que eu realmente queria experimentar e eu fiquei superanimada quando o vi todo bonitinho, mas naquele ponto eu já tinha comido tanto que preferi pegar para levar e deixei a feira logo em seguida. Erro fatal. Eu só tive tempo para parar e comer o hambúrger à noite e no caminho até o microondas (eu moro em uma espécie de apartamento no fundo da casa principal, então atravesso o quintal para chegar até a cozinha), um sapo enorme me esperava na porta da cozinha e eu não consegui entrar. Resultado: não esquentei o sanduíche e só pude comê-lo frio - o que definitivamente coloca minha avaliação em um lugar nada imparcial.
Minha impressão principal do hambúrguer de lentilha foi: tem gosto de feijão. Duh. É de lentilha, teria gosto mais de que? Era gostoso, eu definitivamente teria gostado dele quentinho, mas eu tenho certeza de que teria preferido o outro prato vegano da barraca da Ju: quibe com vinagrete. Não ter comprado o quibe com vinagrete/não ter comido o hambúrguer assim que cheguei à feira e enquanto ainda estava quente é oficialmente minha maior frustração em 2016. Já podem cancelar o ano.
Nota: Não sei se isso influencia em qualidade de alguma forma, mas eu preciso acrescentar: Quando eu tirei o hambúrguer da sacola eu descobri que o guardanapo verde no qual ele foi guardado, soltou tinta no pão. O pão acabou completamente verde, então eu nem cheguei a comê-lo (o que é triste, porque o pão tava cheio de molho que eu nem sai qual era, mas não interessa porque amo molho).

Conclusões Finais: Eu queria ter comido mais. As comidas estavam caras, mas no geral gostosas. Eu definitivamente preciso planejar o quê e onde eu vou comer direito antes de eventos assim. E eu não sirvo para crítica gastronômica, nem de perto. Ah, e eu preciso de um chef particular, mas isso eu já sabia antes de ir para a feira.

Muuuito obrigada a quem tem ajudado com a meta de visualizações e apesar de ainda parecer meio impossível, eu tenho ficado muito feliz com todos os visitantes que o blog tem recebido. Vocês são incríveis! Vamos continuar até dia 7 de fevereiro.
G.

P.S.: Esse post foi ultra difícil de escrever porque depois que eu saí da feira meu domingo foi tão horrível (o dia culminou com um sapo na porta da cozinha!!) que eu não queria ficar revivendo, mas eu prometi a mim mesma que escreveria e escrevi. No fim da semana tem outro post, dessa vez a primeira resenha do ano. Be prepared!

You May Also Like

15 comentários

  1. Eu moro num fim de mundo, mais fim de mundo :'( nunca teve uma feira culinária, aqui, bem triste. Sério, fiquei super com vontade da limonada e dos pasteis, e bem triste mesmo que a história do sapo complicou até para você comer o hambúrguer. Poxa, só porque era a maior expectativa :/ Enfim, apesar de tudo, deve ser ótimo ir para uma feira dessa, espero que um dia haja algum evento assim aqui onde eu moro, porque tá difícil, hsuhushasuh.
    Beijos, G <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deveria ter!! Toda cidade deveria ter feira culinária e muita comida! O evento foi ótimo mesmo, essa história do sapo foi a única coisa que me impediu de comer tudo que eu comprei e tudo que eu queria. Já estou querendo outra feira.
      Beijo<3

      Excluir
  2. Expectativa x realidade. Queria ter ido, queria ter comido e comido e comido de novo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Provavelmente vai ter outra e você, faça o favor de estar aqui.

      Excluir
  3. Hey, Giulia!
    Feiras gastronômicas parecem bem legais, tem comida e comidas diferentes, mas acho que não seria muita vantagem pra mim, eu não sou muito adepta de comer coisas "diferentes", porém parece uma ótima experiência. E o lance do sapo, que sad, no seu lugar eu também ficaria bem triste.
    Vale ressaltar que o sanduíche de pernil com abacaxi parece gostoso, mas por algum motivo eu não comeria jfenwifejm
    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OOi, Dany
      Foi definitivamente um evento divertido, mas se você não gosta tanto de coisas diferentes talvez não fosse gostar tanto. O povo inventa cada comida e nem sempre dá certo. Mas foi legal, eu recomendo. Mesmo que isso não faça sentido hahaha.
      Beijo!

      Excluir
  4. oi g!
    ok, eu só não escrevi esse comentário quando saiu o post porque eu tive que sair correndo pra cozinha fazer alguma coisa para me distrair da vontade que deu de comer brownie.
    esse tipo de feira já é super normal em sp e eu sou aquela que sempre vai mesmo sabendo que nada mais é novidade e acaba gastando quinze reais em um milkshake que basicamente é o milkshake do bobs só que mais caro. infelizmente copos com desenhinhos bonitos me atraem (isso e mini coxinhas doce).
    já sabemos que se nada der certo na tua vida, giulia vai virar crítica gastronômica e ter um blog chamado 'quebrei o forninho'!

    beijos, tatii

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie!
      Ok, primeiramente eu fiquei uns dois minutos rindo do "quebrei o forninho" ahauahahaha Isso é uma boa ideia para nome de blog culinário ou de crítica gastronômica mesmo, adorei!
      Não sei se eu peço perdão ou não por ter te deixado com vontade de comer brownie, na dúvida, estou pedindo. Eu também fiquei com fome depois de escrever e fui comer bolacha, porque era a única coisa que tinha.
      Entendo completamente sua atração por copos bonitos. Não dá pra evitar, eles fazem até a bebida parecer mais gostosa, o que faz com que a gente gaste mais nela. É tudo um claro golpe, mas eu sou fraca demais para suportar a vontade.
      Beijos!

      Excluir
  5. Quero uma feira dessa AGORA, QUEM VAI ME LEVAR?!!

    Quis experimentar esse hambúrguer vegetariano e os brownies, verdade.

    "quebrei o forninho" é maravilhoso pra blog de crítica gastronômica, mesmo. Tatii rainha de SAland tem razão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tinha que ter feiras dessas em todo canto. Eu também queria poder comer e comer mais deles! E sim, tatii é rainha mesmo né? A razão está com ela ahahah

      Excluir
  6. Você sabe que tem olho grande quando acaba de fazer Petit Gateau e ainda assim fica babando com vontade de comer brownie por causa do post. Aqui na minha cidade sempre tem uns festivais assim, o melhor que eu já fui foi o Festival da Lula (sou apaixonada por frutos do mar, fiquei doida). A Festa Portuguesa é ótima pra provar algumas coisas diferentes também... Minha próxima experiência gastronômica vai ser uma ida a um restaurante de comida paraense que abriu recentemente aqui. Como eu arranho um pouquinho na cozinha, as vezes eu consigo fazer umas coisinhas dessas - tipo o hambúrguer de lentilha que eu fiz uma vez, ficou ótimo. Adoro quando você faz esse tipo de post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha Tudo que eu queria na vida era poder comer o que eu quero na hora que dá vontade porque é triste quando essas vontades aparecem.
      AAAH festivais culinários diversos, eu preciso e preciso muito mesmo. Queria que aqui tivesse mais restaurantes diferentes, só tem um restaurante mexicano e um argentino, ambos bem caros e distantes de onde eu moro. E também queria saber cozinhar, é bem raro eu fazer algo que dê certo. Tanto que quando acontece eu faço uma barulheira a respeito. Eu só comi o suficiente para fazer vontade do hambúrguer de lentilha. Preciso achar algum lugar que tenha, porque a moça que preparou na feira ainda não tem restaurante.
      Enfim, que bom que você gosta! Vou torcer por mais eventos assim pra escrever mais a respeito.

      Excluir
  7. G acho que você não sabe muito bem o que é fim do mundo, você possivelmente nunca veio na minha cidade (ao chegar você vai ver como ele é horrível). Queria muito experimentar todas essas coisas, apesar do preço. Fiquei desejando que na minha cidade tivesse algo tão legal. Ou será que o jeito que você faz as coisas parecerem que é maravilhoso?
    De qualquer forma eu amei o post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. uma pergunta, quantos habitantes tem tua cidade? mais de 5k? então deixa eu te explciar o que é fim do mundo. deixa eu te explicar também, Giu AHAHAHAHAH

      Excluir
    2. Geeeente, aqui tem 340 mil, mas tem todas as coisas chatas de fim de mundo e de cidade pequena. Vizinho chato, fofoca que percorre a cidade toda, poucas linhas de ônibus, internet ruim. TUDO! É uma tristeza. E eu já morei em uma comunidade distrital de menos de 5k: Experiência que eu não gostaria de repetir.
      Acho que todo canto deveria ter feira culinária, porque ôh negócio bom.

      Excluir