Diário de Bordo - Parte 6 - Dentes e Livros

by - 16:02

Esse post é sobre o que aconteceu ontem, mas eu não vou escrever em ordem cronológica, mas em ordem de assunto.
Primeiro: Dentes
Desde que eu cheguei a cidade, minha avó tem comentado sobre meus lindos dentinhos. A questão é que graças ao tombo de boca no chão que levei quando tinha um ano, eu tenho uma pequena (com enfase no pequena) fratura no dente da frente. Só que minha avó resolveu insistir que o bendito buraquinho é uma carie. E não importa o número de vezes que eu insisti QUE NÃO É UMA CARIE, ela insistiu pra me levar no dentista dizendo que meus dentes estão muito feios.
A visita ao dentista foi na madrugada manhã, de ontem. Fui acordada as 7 da manhã muito revoltada, para ir de ônibus até um consultório no centro. A recepcionista disse que a espera seria de 20 minutos e que só havia uma pessoa - além da que estava sendo atendida - na frente de mim e da minha irmã. A espera de 20 minutos, virou uma espera de DUAS HORAS! E além disso a dentista resolveu me chamar no momento em que eu estava vendo um dos meus vídeos preferidos. Mesmo assim eu estava calminha, até entrar no consultório e ouvir que eu estava com placas, precisava de uma limpeza dentária e DEZESSETE OBTURAÇÕES! Ela ainda disse que meus lindos buraquinhos no dente da frente eram caries. Valor total = R$ 475,00.
O que eu senti vontade de dizer para a dentista: ESCUTA AQUI SUA VACA, EU ESCOVO MEUS DENTES TODOS OS DIAS, MAS ACONTECE QUE EU TENHO PROBLEMAS DE FALTA DE CALCIFICAÇÃO NOS DENTES QUE EU NÃO VOU PERDER TEMPO EXPLICANDO PARA UMA DENTISTA COM TÃO POUCO CÉREBRO QUE CONFUNDIU UMA FATURA GRAVE FEITA QUANDO EU TINHA UM ANO DE IDADE COM UMA CARIE. ENTÃO EU POSSO SABER PORQUE DIABOS VOCÊ QUER FAZER DEZESSETE OBTURAÇÕES EM DENTES SAUDÁVEIS?
O que eu disse pra dentista: Nada. E ainda dei um sorriso amarelo (sem trocadilhos) quando ela disse que eu tinha que escovar meus dentes melhor.
Mas apesar da minha educação mantida, (eu sou assim sempre), eu fiquei com muita raiva. Tipo, como ela ousa dizer que meus dentes são tão estragados que precisam de 17 obturações? Eu fiquei com tanta raiva que se eu fosse em outro dentista e ele dissesse que eu precisava de 16 obturações, eu fazia, mas não fazia as 17 com ela. Isso sem falar no preço. Tá me achando com cara de milionária?
Mas a minha raiva passou bastante, quando minha mãe ligou ontem a tarde e eu contei essa história pra ela. A pessoa (profissional da saúde) que mais conhece meus dentes, chamou a dentista de maluca e falou que ela tava tentando aplicar um golpe com esse preço e alem disso, obturações na <<<FRATURA>>> que tenho nos dentes da frente seria perigoso, doloroso e teria que ser tirado. O que eu preciso na verdade é  de uma recapeamento, ou algo assim. Ela pediu pra que eu continuasse escovando os dentes direito, e que quando eu voltar pro Rio ela vai fazer o tratamento correto.
Eu tive que contar tudo pra minha avó depois e ela ficou com cara de tacho. Fazer, o quê? Eu amo ter razão.

E agora: Livros
Todo mundo sabe que eu amo ler. Leio muito e de tudo. No dia 5 de janeiro desse ano eu já tinha lido três livros de mais de duzentas páginas cada.
Sei que pode parecer auto propaganda, mas eu amo contar pro mundo que aprendi a ler sozinha (por influencia da minha avó), aos cinco anos (por isso pulei a alfabetização e estou adiantada na escola) e que com sete já lia livros de mais de cem páginas em poucos dias.
Essa é uma das partes (ou será que é a única parte?) da minha vida que minha família tem orgulho e incentivo. Quer dizer, eu fui dizer que não tinha nada pra ler e olha o que aconteceu:

Tô lendo Dom Casmurro agora.

Eu tô lendo tanto livro que nem acabei de ler minha revista ainda. Ontem, eu e a minha avó passamos por uma livraria pra procurar o presente de aniversário da minha mãe (não vou dizer o que é porque corre o risco de ela ler) e depois fomos a um sebo, porque eu estou tentando comprar umas versões antigas (eu prefiro as versões antigas) de clássicos como Romeu e Julieta e Anna Karenina para ler ano que vem. Minha avó fez questão de contar que "eu aprendi a ler sozinha (por influencia da minha avó), aos cinco anos (por isso pulei a alfabetização e estou adiantada na escola) e que com sete já lia livros de mais de cem páginas em poucos dias.". E eu apenas sorri.

Amo vocês,
Pucca.

P.S.: Deixem comentários, sugestões, e dicas. Espero que gostem.

You May Also Like

0 comentários