Crises, amores e a grama do vizinho

by - 00:51

Eu sei que tinha dito que tentaria postar até quarta, mas... Eu escolhi a faculdade como tema do post porque me dei conta de que já tinha mais de um mês que falei sobre isso e mais de um mês desde que minhas aulas voltaram. Então eu planejei escrever o post na quarta porque era o primeiro dia do meu mini-recesso de São João (que começou dia 22 e termina dia 27), mas isso deu muito errado porque no momento em que eu me livrei da faculdade por uma semana, tudo que eu não queria era pensar na faculdade. Eu resolvi então que ia me dar minha pausa e que antes de escrever esse post, terminaria de trabalhar no capítulo da segunda fase de As Crônicas de Kat no qual eu já vinha trabalhando há alguns meses. ISSO ME TOMOU 2 DIAS!! PORQUE EU SIMPLESMENTE NÃO QUERIA TER QUE ENFRENTAR O FINAL DO CAPÍTULO!! (Que, sim, envolveu matar uma das personagens às quais eu me referi no post das 101 coisas em 1001 dias). Depois que eu finalmente consegui terminar - apesar de ainda estar com um vazio gigantesco no coração - resolvi que eu realmente precisava escrever o post, porque o mês literário setá chegando e eu preciso atualizar vocês sobre vários aspectos sobre a vida antes de começar a falar como doida de literatura.
Então, a faculdade. Como anda a faculdade. Faculdade? Aquela coisa lá que eu faço de segunda a sexta de manhã cedo? Aquela coisa que eu passei 3 anos estudando para entrar, mesmo considerando que ela me impede de curtir minha juventude, de ser uma jovem saudável e de fazer o que eu quero? Aquela que me causa crises emocionais das 6 da manhã até às 11 da noite? Bem, entre textos para ler, trabalhos para fazer, pautas para pensar, conteúdo para produzir, mesas de debates para assistir, seminários para organizar, crises para superar e complexos para alimentar, tudo anda bastante:

Esse é o meme oficial da vida universitária e ninguém pode negar. (Além disso, porque eu não consigo encontrar um gif disso que funcione no Google? Só acho no Twitter e no Telegram e de lá não dá para salvar).
Como vocês já sabem, neste digníssimo 3º semestre eu tenho 5 disciplinas: Oficina de Fotojornalismo, Oficina de Vídeo-documentário, Oficina de Jornalismo Impresso, Narrativas Jornalísticas e Teorias da Comunicação. Como eu também já disse, só uma dessas disciplinas é diretamente teórica o que faz com que o semestre pareça ser o melhor semestre que eu tive até agora. Ao que tudo indica, por esse primeiro mês de aulas que eu tive ele será mesmo. O único problema é que, de verdade, de verdade eu só tive aula de uma disciplina nesse período: Oficina de Fotojornalismo. Minha professora vai precisar sair no começo do mês que vem para fazer doutorado e pegou aulas de quase todas as outras disciplinas para conseguir ministrar a disciplina a tempo. Então apesar de eu ter tido uma ou outra aula das outras disciplinas, eu só me sinto tendo aula mesmo disso. E Fotojornalismo? Melhor disciplina da vida. Tirando a parte em que eu fico apenas querendo câmeras que eu não posso comprar e o fato de que eu não desenvolvi o senso estético para tirar fotos como eu queria poder tirar, tudo sobre essa aula é maravilhoso. Eu provavelmente falei aqui sobre como no primeiro semestre eu gostava dos momentos em que eu meio que me sentia uma jornalista de verdade. Fotojornalismo trouxe essa sensação de volta nos trabalhos práticos. Eu passei dois dias bem cansativos tirando foto para a primeira atividade prática e ainda assim adorei porque me fez me sentir na profissão que eu quis aprender. PORQUE TODAS AS DISCIPLINAS NÃO SÃO PRÁTICAS? De qualquer forma, faltam 2 aulas e pelo menos dois trabalhos para a disciplina acabar e eu não to muito feliz, porque logo em seguida a loucura começa.
Eu praticamente só tive aula de Fotojornalismo, mas não necessariamente só tive aula de Fotojornalismo. Todas as disciplinas já tiveram aulas, mas não pareceram "aulas de verdade" ainda. Narrativas mesmo, foram só duas aulas e basicamente para localizar a gente na disciplina. A próxima aula, porém, já tem apresentação de seminários. E advinha quem ficou no grupo 1 dos seminários outra vez? Eu mesma. A pior parte? O seminário vai ser apresentado no aniversário da professora!!!! Esse seminário é tipo um fantasma que me segue insistentemente. Até quando eu não to pensando nele, no fundo, no fundo eu estou pensando nele. E só para piorar a situação, não será apenas um seminário no mês que vem: A segunda onda de seminários da disciplina começa na última semana do mês e eu estou no primeiro grupo de novo - mas dessa vez por minha culpa, o primeiro tema é Livro-Reportagem e como eu quero que meu TCC seja um, eu pedi para a professora que meu grupo ficasse com esse tema (Aí tive que lidar com a fúria das minhas colegas de grupo que eu acho que ainda não me perdoaram, mesmo eu prometendo colocar os nomes delas nos agradecimentos do TCC).
Eu também já tive aula de Jornalismo Impresso e tenho um trabalho para fazer para a semana que vem, mas eu não to surtando tanto com ele porque a) eu não fui na última aula e b) eu não vou na próxima. E eu terei atestado para os dois casos. Não que eu esteja fugindo da aula nem nada. Porque :) eu :) nem :) tenho :) medo :) de :) Jornalismo :) Impresso :). Alem disso, tem Teorias da Comunicação e Video-documentário que são ministradas pelo mesmo professor. Enquanto a primeira eu não tinha muitas esperanças, mas estou me surpreendendo (eu já até tive ideia para o trabalho final), a segunda tem sido um festival infindável de "ESSA NÃO É A OPTATIVA QUE EU QUERIA". Não me entendam errado Video-documentário é bem legal e era meu plano B, mas tudo começou a dar errado na primeira aula, quando o professor viu que nosso trabalho tinha um pouco em comum com a disciplina que era minha primeira opção, Edição e Montagem, e resolveu deixar a gente assistir o começo da aula deles. Eu passei esse momento inteiro surtando pelo quanto aquilo era o que eu queria e o quanto era a disciplina perfeita para me ajudar a realizar meu sonho de escrever um piloto de série um dia. Mas não era a minha optativa de verdade, o momento passou, e nós seguimos para a aula oficial de documentário. E Giulia Santana ficou só na depressão por não ter conseguido entrar na disciplina do lado. A pior parte é que o professor estava certo, nós realmente seguimos caminhos muito parecidos com Edição, mas eu estou em um clima de a grama do vizinho é mais verde que chega a doer. Espero que isso passe quando nós realmente começarmos a gravar para o documentário do professor. (Eu também vou produzir um minidoc como trabalho final. Superaceito sugestões de tema).
É isso! Acho que de todos os posts bagunçados de 2016 esse foi o mais bagunçado. Mil perdões pela bagunça total que este blog tem sido este ano. A vida tem sido uma bagunça este ano e eu espero que ao menos eu consiga seguir meus prazos para Mais Uma Vez e ter uma data real e eventualmente um livro para vocês. Torçam por mim.
G.

P.S.: Eu vou falar mais sobre isso no mês literário, mas vocês precisam saber sobre antes - Lembram do grupo de amigas que reunidas graças ao último NaNoWriMo? Pois é, nós nos unimos e criamos uma newsletter! A Tertúlia será enviada toda quinta-feira e terá temas cíclicos. A primeira já vai estar nos e-mails dia 30 então eu recomendo que vocês se inscrevam clicando aqui, desde já. Também recomendo seguir nossa pequena reunião no Twitter e no Facebook.

You May Also Like

0 comentários