Aquela vez em que 6 anos se passaram (400º post)

by - 22:36

Eu passei a última semana inteira chateada comigo mesma por ter criado o blog em fevereiro. Desse jeito, eu me forço a passar por retrospectivas, nostalgia profunda e sentimentos confusos duas vezes no mesmo mês!! Ter que escrever sobre o blog e sobre o meu aniversário praticamente na mesma semana (aliás, este ano eu vou ter que fazer isso na mesma semana) também faz com que eu pense sobre a minha própria mortalidade e todo tempo que eu venho perdendo nos últimos anos. OK, PAREI. Este 400º post deve ser um post comemorativo e é isso que ele será, até porque os últimos seis anos foram maravilhosos. Cheios de acontecimentos e aventuras boas e ruins, de fases obscuras e de fases incríveis, de um hiatus que durou menos do que o espaço entre posts quando o blog estava ativo, de contos, poemas, crônicas, de textos que eu categorizei de uma forma, mas que até hoje eu não sei se está certa, de participações especiais e de posts participativos, do pior e do melhor da minha escrita, de mudanças, de começos e de fins, violentos ou não. E quando eu digo que não mudaria nada que aconteceu durante esse tempo, eu incluo os últimos 399 posts deste blog. (Mesmo que eu sinta uma leve vontade de mudar grande parte deles).



Este blog foi concebido pela minha necessidade de escrever. Eu nem sabia disso na época, mas a escrita era a única forma que eu tinha de organizar e de expressar tudo que estava acontecendo. Eu tinha acabado de mudar de cidade outra vez - pela terceira vez em menos de dois anos - então veio o ataque de pessoas desconhecidas no Twitter (eu sinto que um dia as pessoas acharão os tweets que mandaram para mim e vão dizer que não foi nada demais, então eu preciso dizer: Hoje em dia eu também acho que não foi, mas eu tinha 12 anos. Se eu sou a criatura mais assustável do mundo hoje em dia, imagina naquela época?), a escola nova e o medo repentino de não me adaptar, mesmo que no mês anterior eu quisesse muito me mudar para ter a chance de me reinventar (não me perguntem o que isso significa aos 12) e eu precisava organizar minha mente se quisesse continuar vivendo. Eu precisava escrever. Não a história de amor boba que eu estava escrevendo na época, nem o começo da fantasia confusa cuja ideia eu tivera menos de seis meses antes e que já tinha escrito três versões, que hoje em dia vocês conhecem como Mais Uma Vez. Eu queria colocar meus sentimentos para fora de outra forma, mesmo que fosse através de metáforas e de frases que só faziam sentido na minha cabeça. E assim surgiu o PuccaSecrets - o blog que me deu a chance de descobrir o que eu quero da vida, me fez perceber quão a sério eu levo a escrita e quão morta eu estaria se não pudesse canalizar absolutamente tudo para palavras.
Aqui estamos 7 eras (o que significa 7 urls, mas apenas 4 títulos) e 6 anos depois e eu ainda não aprendi como se faz sentido em textos longos. Eu ainda falo demais sobre assuntos em que não se tem muito o que dizer e penso tão rápido que preciso interromper pensamentos para dizer outra coisa, resultando em um uso exagerado de parênteses e travessões, além de vírgulas que realmente só estão lá para o leitor poder respirar. Com toda sinceridade do mundo, atualmente este blog é apenas um Centro de Organização de Pensamento ou um Depósito de Pensamentos que Eu Não Posso Jogar em Outro Lugar. Além de um Recanto de Assuntos que Meus Amigos Não Aguentam Mais Me Ouvir Falar, Mas que Eu Ainda Tenho Muito a Dizer e Retiro de Assuntos Simples que se Tornaram Pensamentos Complexos. Então, basicamente, um diário, só que mais exposto. E o fato de isso aqui ser um diário me permitiu experimentar e fazer coisas que eu não poderia fazer escrevendo para lugar nenhum. Aqui eu posso escrever permitindo que meus sentimentos respinguem e escorram pelas palavras. Minha personalidade, minhas mudanças, meus humores, minhas ansiedades, todas estão espalhadas pelos textos que eu posto aqui. Eu nem tento ser profissional - se eu quero gritar, é isso que eu vou fazer. Se eu quero chorar, eu preciso fazer aqui e tirar algum proveito das lágrimas. Se eu escrevi um conto que me fez chorar, eu quero fazer todo mundo chorar também. E o fato de que as pessoas conseguem se identificar com o que eu digo, o que eu passo e o que eu sinto, faz com que todo humor, sentimento e problema por mais confuso e assustador que seja pareça... normal.
Eu sei que digo isso muito, mas é esquisito que eu tenha conseguido manter um blog por seis anos e que as pessoas ainda leem ele!! Alguns milhares de pessoas passaram por aqui e algumas dessas pessoas ficaram!! E tem gente que está aqui desde a época em que eu ainda assinava com "Pucca"!!! Vocês estiveram comigo e e aguentando durante o meu pior (como quando eu perdi minha mãeos piores anos da minha depressãoo ensino médio), o meu melhor (como quando eu terminei meu primeiro livro ou venci o NaNoWriMo mais louco de todos os tempos e quando eu passei no vestibular) e durante o meu mais irritante (como quando eu comecei a ouvir MisterWives e escrevi um post enorme - e que eu ainda amo muito - a respeito). Foi aqui que eu postei todos os contos que eu já escrevi. E alguns dos poemas, por mais constrangedores que eles sejam (eu teria postado aqui o primeiro poema que eu escrevi e os poemas que vieram depois dele, que se transformaram em um minilivro de poemas - que inclusive, foi um sucesso completo entre a minha família materna e as amigas da minha avó -, mas ele se perdeu em alguma mudança que aconteceu nos últimos dez anos). Foi aqui resolvi postar minhas tentativas de escrever horror gótico e de exprimir toda a minha paixão por vampiros, o que acabou resultando em uma história da qual eu tenho bastante orgulho. Foi com vocês que eu dividi o e-book dessa história e com vocês que eu passei pelas dores causadas por todos os sentimentos que essas personagens sem sentimentos me causam. É com vocês que eu converso sobre os meus personagens, sobre quando eles resolvem ser teimosos e a história simplesmente não sai e também sobre as noites que eu não consigo dormir porque eles resolveram encher meu saco. São vocês que me aguentam quando eu tenho projeto novo e preciso falar sobre ele com alguém. (Bem, vocês e o pessoal do Twitter). São vocês que estão esperando por Mais Uma Vez e os outros livros de Sociedade Inglesa de Oposição há três anos, por A Linha de Rumo há um e por Tóxico há alguns meses. São vocês que eu tenho medo de decepcionar por dar expectativas demais.
Por todas essas coisas e por todas as coisas que ainda acontecerão, obrigada. Obrigada pelas 61 mil visualizações (A meta de uma média de 10 mil posts/ano que eu queria ano passado não funcionou, mas esse ano foi batida!!!), pelos quase 800 comentários. Obrigada pelas mensagens. Obrigada pelos compartilhamentos. Obrigada por passar por aqui. Obrigada por passar por aqui e continuar voltando. Obrigada por ter passado a noite inteira aqui para conseguir ler os posts desde o começo. Obrigada por ter lido um post só. Obrigada por ter lido o mesmo post várias vezes. Obrigada por fazer dos posts mais aleatórios do mundo os mais lidos. Obrigada por ressuscitar posts antigos (sério, por que todo mundo anda lendo "16 anos: mitos e verdades. E mais: sobre fazer 17 anos"?? Vocês estão me deixando ansiosa por ter que escrever sobre fazer 19 anos.) e me fazer rir e chorar com a minha própria escrita. Obrigada por ter lido este post e bem-vindo se essa for sua primeira vez aqui. Eu pretendo continuar aqui por um bom tempo e fazer o máximo possível para manter a qualidade do blog. Ok, beleza, avançar na qualidade do blog. O que importa é que eu estou feliz por ter perseverado por todos estes anos e já que eu não me vejo sem escrever tudo que acontece aqui, espero que tenha muita coisa boa pela frente para poder compartilhar com vocês.
E eu sei que não importa o que aconteça a partir de agora, minha adolescência está registrada na internet. Para todo o sempre.
Obrigada por esses seis anos,
G.

P.S.: Eu sei que eu tweetei há algumas semanas sobre fazer um sorteio de algo físico do blog para o aniversário, mas depois que a minha ideia original deu errado, as outras também deram, sequencialmente. Mas não se preocupem, eu ainda quero fazer coisinhas do blog para sortear e nós teremos muitas oportunidades este ano. Eu provavelmente farei algo na página do Facebook, relacionado a As Crônicas de Kat, mas eu avisarei direitinho aqui, é claro.

You May Also Like

4 comentários

  1. Heeeey, Giulia!!
    Parabéns pelo blog, ele é ótimo. Eu o acompanho faz um tempo (não tanto tempo assim, mas um tempo considerável, considerando que sou eu acompanhando algo).
    Eu amo ler todas as coisas que você posta aqui, ás vezes eu fico com vários posts acumulados mas ás vezes eu fico ansiosa esperando por posts novos! Eu sempre consigo me identificar com você, e com o que você diz, e mesmo depois de tanto tempo, um dos meus posts preferidos é o que você fala de MisterWives (mesmo não ouvindo tanto, eu amei muito aquele post), entre vários outros que também gostei muito.
    Parabéns, muitos anos de vida pro blog!
    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OOI DANY,
      Obrigada, de verdade. Por acompanhar e por continuar por bastante tempo, sim. Acho que você já viu mais de duas eras né? Não tenho certeza, mas de qualquer forma, muito muito obrigada <3
      Fiquei muito feliz por saber que você gosta do post sobre MisterWives porque aquele também é um dos meus posts preferidos da história e provavelmente sempre será.
      Obrigada outra vez, que o blog tenha muitos anos, sim
      Beeijo.

      Excluir
  2. oi g!

    seis anos!!!!!

    você já é uma vencedora só por ter batido esse recorde. o seu blog é muito especial, foi o primeiro blog que eu consegui acompanhar (bom, agora eu to sendo bem ruim, mas lembra no começo quando eu saia comentando em tudo!!!) e foi maravilhoso ler o que você escrevia e pensar EU PRECISO SER AMIGA DESSA MENINA TIPO AGORA. é muito doido pensar que já passou esse tempo todo. mesmo não conseguindo ler na hora em que os posts saem, eu ainda fico esperando sair um post novo e venho aqui de vez em quando ver se tem coisa nova apenas para dar aquela procrastinada hahahaha

    acho que eu já disse isso, mas a forma como você compartilha suas experiências é tão verdadeiro e puro que faz qualquer um se apaixonar por você, sério. então, feliz aniversário ao blog e obrigada a ele (na época de as crônicas de g!) por ter me enchido de vontade de ser a sua amiga e olha onde chegamos!

    espero que você continue compartilhando suas experiências aqui, que mais seis anos venham e depois mais seis e mais seis...

    beijos,
    tatii

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi tatii,
      Eu até gritei lendo esse comentário, você nem imagina hauahaha Obrigada, tatii. Por acompanhar o blog e por apoiar ele e as loucuras que eu registro nele também. Obrigada também por ter se tornado minha amiga mesmo e continuado por todo esse tempo.
      Muito muuito obrigada,
      Beeijo

      Excluir